Notícias

Líder da bancada ruralista será a ministra da Agricultura de Bolsonaro

Presidente eleito anunciou o nome da deputada Tereza Cristina (DEM-MS) para presidir a pasta, que não será fundida com o Ministério do Meio Ambiente

Daniele Bragança ·
7 de novembro de 2018 · 3 anos atrás
Reunião da bancada ruralista com o então candidato Jair Bolsonaro, ainda no segundo turno. Tereza Cristina , à direita do novo presidente, foi confirmada hoje como nova ministra da Agricultura. Foto: FPA/Flickr.

A presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), também conhecida como bancada ruralista, será a futura ministra da Agricultura no governo Bolsonaro. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (07) e confirmado depois pelo próprio presidente eleito, que comunicou a escolha através da sua conta no Twitter.

Tereza é a primeira mulher a integrar o novo governo.

Anúncio. Imagem: Print.

Agrônoma de formação, Tereza Cristina é líder da bancada ruralista desde fevereiro deste ano. A aproximação com Bolsonaro ocorreu antes das eleições e a bancada apoiou o candidato já no primeiro turno. A FPA conta com 233 integrantes na Câmara e 27 integrantes no Senado. É a maior bancada pluripartidária do Congresso.

Antes de ser deputada, Tereza Cristina foi secretária estadual de Desenvolvimento Agrário do Mato Grosso do Sul até 2014. Em 2017, foi líder da bancada do PSB na Câmara dos Deputados, antes de romper com o partido e ir para o Democratas. Na Câmara, ganhou a alcunha de “musa do veneno”, por ter presidido a comissão especial do projeto de lei 6299/02, que flexibiliza as regras de utilização de agrotóxicos no País.

Tereza Cristina trabalhou duro pela aprovação do projeto, que ainda será votado plenário da Câmara.

Na presidência da FPA, a deputada trabalhou pelo aumento do crédito rural, pela renegociação de dívidas do setor, pela mudança no licenciamento ambiental e na legislação indígena.

Futuro incerto do ministério do Meio Ambiente

Ao que tudo indica, a Agricultura não vai incorporar o ministério do Meio Ambiente (MMA). Foi o que disse aos jornalistas o deputado Alceu Moreira (MDB-MS), após sair de uma reunião com Jair Bolsonaro. Moreira é vice-presidente da FPA. Como ficará o MMA, sua composição ou se será fundido com outra pasta, ainda são perguntas sem respostas.

 

Leia Também 

Bolsonaro admite rever proposta de fundir Meio Ambiente com Agricultura

Projeto do Senado completa cerco ao licenciamento ambiental

Buzz-onaro, ou o choque como estratégia

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Análises
26 de outubro de 2018

Buzz-onaro, ou o choque como estratégia

Faz parte do manual do líder populista, que deriva seu poder da capacidade de surpreender o tempo todo, deixar a oposição em choque constante e manter seus apoiadores sempre animados com ações de última hora

Análises
22 de abril de 2018

Projeto do Senado completa cerco ao licenciamento ambiental

Texto protocolado na quarta por senador autor da “PEC da Samarco” é híbrido entre propostas de Romero Jucá, da CNI e da bancada ruralista na Câmara para flexibilizar regras para a licença

Salada Verde
1 de novembro de 2018

Bolsonaro admite rever proposta de fundir Meio Ambiente com Agricultura

Diante da repercussão negativa, principalmente entre ruralistas famosos, o presidente eleito afirma que talvez mantenha os dois ministérios separados

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Sassá Mutema diz:

    Vai ser a Dona Beija, a Marquesa de Santos, a professorinha…


  2. Ramal km 58 diz:

    Só quero que sumam com esse ICMBIO, coloca outra coisa no lugar, mas esse aí não dá mais, nunca deu