Notícias

Mantida a proibição de pesca de peixes ameaçados no Rio Grande do Sul

Sindicato de pescadores sofre derrota no recurso contra decisão que suspendeu a pesca de espécies ameaçadas protegidas por lei.

Daniele Bragança ·
23 de maio de 2016 · 5 anos atrás
O Tubarão-azul é classificado como vulnerável pela lista vermelha de espécies ameaçadas do estado.
Tubarão-azul é classificado como vulnerável pela lista vermelha de espécies ameaçadas do estado. Foto: Wikipédia.

Entre prejuízo econômico por não poder pescar espécies comerciais e a proteção de espécies ameaçadas, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) decidiu que a salvaguarda da natureza é mais importante. Em decisão unânime, o Tribunal vai manter a liminar expedida em setembro pela Justiça Federal do Rio Grande do Sul que garantiu a validade da Lista Vermelha Estadual,  documento que protege as 33 espécies marinhas ameaçadas ao longo da costa gaúcha.

O Sindicato dos Armadores da Pesca do RS (Sindarpes) entrou com um recurso alegando prejuízos à categoria. Em sua decisão, o relator do caso, desembargador federal Cândido Alfredo Silva Leal Junior, rejeitou o apelo: “ainda que os agravantes pudessem ter interesses econômicos contrariados pela suspensão provisória dos efeitos da regulamentação discutida na ação civil pública, isso não impediria o juízo de adotar as medidas cautelares solicitadas para dar conta de proteger no âmbito do Rio Grande do Sul a fauna marinha ameaçada de extinção, cumprindo o mandamento constitucional do artigo 225 da CF e fiscalizando o exercício daquelas competências constitucionais outorgadas à União e aos Estados”.

Relembre a história

Em abril, aproveitando a briga entre os Ministérios da Pesca e do Meio Ambiente em torno da lista vermelha nacional de peixes aquáticos ameaçados, o governador José Ivo Sartori revogou, por decreto, a parte sobre os peixes marinhos da lista de espécies ameaçadas protegidas por Lei no estado, liberando assim a pesca dessas espécies.

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) entraram com a ação civil pública alegando inconstitucionalidade do decreto, pois a decisão do estado ai contra o princípio da proibição de retrocesso ambiental. Este princípio diz que o direito ao meio ambiente equilibrado é fundamental e nenhuma lei ou ato normativo pode representar um recuo na legislação ambiental anterior. De acordo com a ação do MP, ao invés de proteger o meio ambiente e a biodiversidade estadual, o governador excluiu os animais da lista “sem qualquer discussão pública e sem amparo científico”. A ação foi acatada pela Justiça e a Lista Vermelha voltou a valer.

*Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.

 

Leia Também

 

Espécies marinhas gaúchas ameaçadas voltam a ser protegidas

Ministério Público sai em defesa da fauna marinha gaúcha

Rio Grande do Sul suspende proteção aos peixes marinhos

 

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
6 de abril de 2015

Rio Grande do Sul suspende proteção aos peixes marinhos

Por decreto, estado retira proteção e peixes marinhos voltam a ser pescados. Medida foi feita para defender empresários multados pelo Ibama.

Notícias
22 de abril de 2015

Ministério Público sai em defesa da fauna marinha gaúcha

Promotores entraram na Justiça para caçar o decreto do governador Sartori, que extinguiu a proteção aos peixes marinhos no Rio Grande do Sul.

Notícias
1 de outubro de 2015

Espécies marinhas gaúchas ameaçadas voltam a ser protegidas

Decreto que suspendia a Lista Vermelha é revogado pela Justiça Federal. Conservação deve ser responsabilidade conjunta de Estado e União.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta