Notícias

Novo governador do MS promete combater incêndios e desmatamento ilegais no Pantanal

Em entrevista à CNN Brasil, Eduardo Riedel também falou em priorizar desenvolvimento da atividade turística e pecuária sustentável no bioma

Michael Esquer ·
1 de novembro de 2022

Eleito governador de Mato Grosso do Sul, o empresário Eduardo Riedel (PSDB-MS) disse que buscará estruturar o combate a incêndios e desmatamento ilegal no Pantanal. Pelos próximos quatro anos, Riedel irá governar o estado que abrange mais da metade da maior área úmida do mundo. A declaração foi dada, nesta segunda-feira (31), durante entrevista à CNN Brasil. 

“Temos que estruturar uma ação de combate à questão dos incêndios, ao desmatamento ilegal e, ao mesmo tempo também, priorizar o desenvolvimento da atividade turística no Pantanal, uma pecuária sustentável – que já tem estruturado um plano para a pecuária orgânica no Pantanal com remuneração direta do governo –, mas acima de tudo criar as condições culturais para que a gente tenha a preservação desse nosso bioma”, disse Riedel durante a entrevista.

O governador eleito também abordou o período de seca no bioma, que desde 2018 não registra cheias significativas. “Quando nos ciclos de seca, poder estruturado pra conseguir viabilizar o controle de queimadas, que não é só no Pantanal, às vezes no bioma cerrado, ou em outro também, nós temos que estar estruturados pra essa ação”, acrescentou. 

Com o apoio da ex-ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (PP-MS) – eleita senadora por Mato Grosso do Sul no primeiro turno –, Riedel derrotou por 56,9% a 43,1% dos votos o candidato Capitão Contar (PRTB-MS), que chegou a contar com o apoio inesperado de Jair Bolsonaro (PL), declarado durante debate presidencial na TV Globo, realizado ainda no primeiro turno. 

Como mostrou ((o))eco, Contar demonstrou alinhamento ao bolsonarismo em seu plano de governo, o que também se repetiu na questão ambiental. O documento citou o Pantanal duas vezes, no eixo que abordava o turismo.  

No plano do governador eleito, o bioma foi mencionado três vezes em diferentes propostas, onde mostrou a busca de “implantar e melhorar a infraestrutura viária na região do Pantanal”; “intensificar ações de educação ambiental e de conservação da biodiversidade dos biomas Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica”; e “promover a produção sustentável, a cultura, o turismo, a infraestrutura e a conservação do Bioma Pantanal”.  

  • Michael Esquer

    Jornalista em formação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com passagem pela Universidade Distrital Francisco José de Caldas, na Colômbia, tem interesse na temática socioambiental e direitos humanos

Leia também

Reportagens
22 de setembro de 2022

Pantanal é tratado de forma genérica em planos de candidatos a governador

Em MS, maior parte dos candidatos cita o bioma, mas ainda apresentam propostas genéricas. No MT, Pantanal não consta em nenhum dos projetos dos candidatos

Notícias
7 de novembro de 2019

Incêndio no Pantanal atinge 2.430 focos em outubro, pior mês desde 2002

Desde agosto, as queimadas no bioma deixaram um rastro de destruição pelo caminho. Não houve vítimas humanas fatais e ainda não se tem balanço sobre a fauna atingida

Análises
18 de março de 2016

Para quem ama o feio, o Bonito desaparece

Os recursos naturais da cidade mantêm tanto a agropecuária quanto a pujante indústria de turismo. Só falta isso virar um consenso.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta