Notícias

Oleoduto vaza e afeta Área de Proteção Ambiental do Mico-Leão-Dourado

O vazamento de óleo afetou solo e rio, e impactou cerca de 3 mil metros quadrados da área protegida fluminense. Transpetro deverá ser notificada

Emanuel Alencar ·
16 de outubro de 2020 · 1 anos atrás
Vazamento atingiu aproximadamente 3 mil metros quadrados dentro da área protegida. Foto: Reprodução

Quantidade ainda não estimada de óleo vazou de duto da Transpetro e impactou aproximadamente 3 mil metros quadrados da Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, em Silva Jardim, nas Baixadas Litorâneas do Estado do Rio, na última semana (7). Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) já foram ao local quatro vezes, a última delas nesta quinta-feira (15), pois a ocorrência foi no oleoduto Cabiúnas-Reduc (Osduc-1), da Transpetro, cujo licenciamento é estadual. Segundo técnicos ambientais, a extensão do dano é de média complexidade, pois afetou solo e rio local. O vazamento ocorreu a 390 metros da RJ-126, que liga os municípios de Cachoeiras de Macacu a Silva Jardim, e a 18 quilômetros da zona urbana de Macacu. À Transpetro deverá ser exigido um estudo da área afetada.

O incidente vem sendo tratado pela subsidiária da Petrobras como “derivação clandestina”, ou seja, teria origem em uma tentativa de furto. O Inea informou que a estatal não detalhou a hora da ocorrência e detecção do vazamento, e que na segunda-feira (19) a Transpetro deverá ser notificada.

A Área de Proteção Ambiental (APA), gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi fundada em 2002 e tem 150 mil hectares. A fauna da área protegida tem como símbolo o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia), espécie de primata ameaçada de extinção. Além dele, entretanto, a unidade abriga outras espécies igualmente ameaçadas, como a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus), gato-maracajá (Leopardus pardalis mitis), borboleta-da-praia (Parides ascanius) e onça-parda (Puma concolor).

Materiais de contenção instalados em rio da APA: Transpetro não comunicou ocorrência. Foto: Reprodução

A ocorrência se dá justamente quando a troca de comando no Inea ainda não foi concluída. Nesta sexta-feira, a presidente do órgão, Diane Rangel, foi exonerada oficialmente, mas seu substituto ainda não foi anunciado. O novo secretário do Ambiente e Sustentabilidade do Rio, Thiago Pampolha, escolheu o advogado João Eustáquio Xavier, funcionário de carreira, para o posto. Mas o nome de Eustáquio ainda não foi publicado no Diário Oficial. Também está acéfala a Diretoria de Licenciamento do Inea, que vinha sendo ocupada por Fábio Dalmasso, primo do ex-secretário Altineu Côrtes.

Esta não é a primeira vez que ocorre um vazamento no Osduc-1. Em 9 de dezembro de 2008, centenas de hectares de manguezais foram afetados pelo derramamento no mesmo oleoduto, às margens do Rio Estrela, em Magé. Os impactos do incidente — a empresa alega tentativa de furto — ainda não são totalmente conhecidos. Em agosto de 2003, o mesmo Osduc-1 já havia apresentado falha. Na ocasião, houve vazamento considerado de pequeno porte no distrito de Papucaia, no município de Cachoeiras de Macacu. A Petrobras informou, à época, que o vazamento havia ficado restrito à pequena área da zona agrícola, não havendo deslocamento para qualquer outro local.

 

Leia também

Deputado do PDT, Thiago Pampolha será novo secretário de Meio Ambiente do Estado do Rio

Mico-leão-dourado ganha viaduto vegetado para conectar populações

Mais da metade da flora que só existe no Rio de Janeiro está ameaçada

  • Emanuel Alencar

    Jornalista, editor de Conteúdo do Museu do Amanhã e mestre em Engenharia Ambiental. É autor do livro “Baía de Guanabara – Des...

Leia também

Salada Verde
7 de junho de 2018

Mais da metade da flora que só existe no Rio de Janeiro está ameaçada

Das 884 espécies endêmicas, 513 estão perto da extinção. Os dados foram revelados no Livro Vermelho da Flora Endêmica Ameaçada de Extinção, lançado na quarta-feira (06)

Notícias
10 de agosto de 2020

Mico-leão-dourado ganha viaduto vegetado para conectar populações

Estrutura é o 1º viaduto vegetado em rodovia federal do Brasil e irá ajudar a conectar os remanescentes de Mata Atlântica e seus habitantes

Notícias
7 de outubro de 2020

Deputado do PDT, Thiago Pampolha será novo secretário de Meio Ambiente do Estado do Rio

O parlamentar assume no lugar de Altineu Côrtes e terá que lidar com o processo de licenciamento para autódromo em Deodoro, em cima da Floresta do Camboatá, na Zona Oeste, sua principal zona eleitoral

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Antonio diz:

    Matéria irresponsávelmente tendenciosa, tentando imputar na vítima a responsabilidade pelo vazamento. O Governo constitucionalmete responsável pela segurança lava as mão diante dos furtos e por outro lado multa o empreendedor vítima da milícia especializada em roubou de combustível. Acredito que o autor vida matéria deve rever seu ponto de vista!


    1. Paulo diz:

      Bom dia.
      Quem seria a vítima. A APA do mico leão!

      Explique melhor.


    2. Ricardo Melo diz:

      Se você não percebeu, este jornal é especializado em meio ambiente, então não ser tendencioso seria absurdo. Depois, não há necessariamente grandes acusações. Por fim, empreendedores têm tanta culpa no cartório quanto "milícia especializada". Furto é o que dizem, mas nenhuma empresa dessa deve ser creditada, pois não dão a mínima para o meio ambiente.