Notícias

Terreno desmatado, dentro do Parque municipal de Grumari, é posto “à venda” em site

Secretário de Meio Ambiente da cidade do Rio acionou a polícia e garante que vai derrubar portão: ‘Absurdo’

Emanuel Alencar ·
23 de junho de 2020 · 2 anos atrás
Terreno foi desmatado com autorização da Diretoria de Arborização Parques e Jardins (FPJ) da prefeitura. Divulgação/Seas.

Virou caso de polícia o desmatamento de um terreno dentro dos limites do Parque Natural Municipal de Grumari, na Zona Oeste do Rio. É que o lote foi colocado à venda num site, por R$ 130 mil. Na página de compra e venda, o terreno é caracterizado como tendo 660 metros quadrados e disponibilidade de água. O secretário de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio, Bernardo Egas, disse nesta terça-feira (23) que acionou a polícia e que vai derrubar o portão do terreno. Ele acrescentou que ainda está “em investigação” a titularidade do lote.

“A pessoa que está vendendo não é a proprietária. De qualquer maneira, é uma área de proteção integral. Um absurdo. Vou derrubar o portão e a cerca. Já acionei a polícia”, disse Bernardo Egas a ((o))eco.

O imbróglio envolvendo o terreno começou em 3 de abril, quando uma autorização assinada por José Fernando de Souza Mota Júnior, titular da Diretoria de Arborização Parques e Jardins (FPJ), permitiu a remoção de 13 árvores da Mata Atlântica nativa no lote, que fica na Estrada do Grumari número 18, sem medida compensatória. A informação foi divulgada pelo jornal “O Globo”. Na ocasião, a FPJ justificou a autorização a suposta “doença” nos vegetais, o que não foi comprovado.

No dia 16 do mesmo mês, o Instituto Estadual do Ambiental (Inea) autuou a responsável pelo local, Angela Silva dos Santos, que não estava presente, por dano direto à Unidade de Conservação. No local foram encontradas derrubadas as seguintes espécies nativas da Mata Atlântica acurácia, carrapeta, gonçalo-alves, jacarandá-mimoso, pau-d’alho e pau-jacaré. A Secretaria de Meio Ambiente fez então uma inspeção e detectou a irregularidade do ato da FPJ. Além de estar dentro do parque, o lote integra a Área de Proteção Ambiental (APA) de Grumari e no entorno do Parque Estadual da Pedra Branca.

Fiscalização após derrubada das árvores. Foto: Divulgação/Seas
Vende-se um terreno em área protegida. Imagem: Reprodução/Anúncio.
Imagem: Reprodução/Anúncio
Foto: Divulgação/Seas.

 

Leia Também 

Um passeio abreviado no Parque Municipal de Grumari

Parque Estadual da Pedra Branca ganha guia de trilhas

O que devemos entender sobre gestão de unidades de conservação municipais

 

  • Emanuel Alencar

    Jornalista, editor de Conteúdo do Museu do Amanhã e mestre em Engenharia Ambiental. É autor do livro “Baía de Guanabara – Des...

Leia também

Análises
4 de fevereiro de 2020

O que devemos entender sobre gestão de unidades de conservação municipais

Após 10 edições do curso sobre gestão de UCs urbanas, compartilho neste espaço em ((o))eco as principais lacunas e desafios dessas unidades

Notícias
2 de dezembro de 2013

Parque Estadual da Pedra Branca ganha guia de trilhas

Fundado nos anos 70, o Maciço da Pedra Branca é o maior da cidade do Rio e acaba de ganhar um guia completo das suas trilhas, com mais de 20 roteiros.

Reportagens
14 de janeiro de 2013

Um passeio abreviado no Parque Municipal de Grumari

A natureza convida os visitantes a conhecer as praias selvagens, porém ainda falta manejo nas trilhas para levá-los até lá.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta