Reportagens

Uma história do homem da floresta

Sir Adrian Cowell nasceu na China, mas vive na Inglaterra. Há 50 anos, fez o seu primeiro documentário na Amazônia e não parou mais. Quase todo seu acervo foi doado para o Brasil.

Redação ((o))eco ·
11 de dezembro de 2008 · 13 anos atrás
Cowell clicado em 1983 por Jesco Von Puttkamer.
Cowell clicado em 1983 por Jesco Von Puttkamer.
Questionado sobre qual o seu filme preferido, Adrian tem a resposta na ponta da língua. “Sempre o próximo”. Mas, enquanto um novo projeto não é aprovado, uma última pergunta: A Amazônia é um dos melhores lugares do mundo? “Quando eu a conheci, era. Tinha muita lontra no rio Xingú, peixe demais. Nos primeiros sete meses, passei o tempo inteiro caçando. Essa parte da Amazônia acabou. Tem muito desmatamento e, onde está em pé, já não existem as árvores nobres, como o mogno. Na época, a floresta Amazônica era conhecida pelos brasileiros e estrangeiros como um “inferno grande”. O ser humano sabia que ela era muito mais poderosa do que ele. Ela ‘ameaçava’ o homem. Hoje, isso inverteu”.

Leia também

Notícias
20 de maio de 2022

Alto custo é principal barreira para visitação de parques

De acordo com estudo, alto custo da viagem, distância e falta de informações disponíveis são os principais obstáculos para visitação de parques naturais

Notícias
20 de maio de 2022

Presidenciáveis recebem plano para reverter boiadas ambientais de Bolsonaro

Estratégia ‘Brasil 2045’ propõe medidas para reconstruir política ambiental brasileira e fazer país retomar posição de liderança global em meio ambiente

Análises
20 de maio de 2022

O dilema de Koniam-Bebê

Ocupação indígena no Parque Estadual Cunhambebe realimenta falsa dicotomia entre unidades de conservação e territórios indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Cássio Garcez diz:

    Brilhante análise, Beto. Parabéns e obrigado por ela.