Reportagens

Sob nuvens, desmate sobe

Imazon estima que desmatamento na Amazônia Legal tenha aumentado 35% em março.  Nuvens cobriram 63% da região.

Redação ((o))eco ·
4 de maio de 2010 · 12 anos atrás
Desmatamento e degradação na Amazônia Legal em março (mapa: Imazon)
Desmatamento e degradação na Amazônia Legal em março (mapa: Imazon)

Com uma cobertura de nuvens que permitiu uma visualização de apenas 37% da floresta, o Imazon divulgou que em março 2010 o desmatamento na Amazônia foi de 76 km2, aumentando 35% se comparado a março de 2009. Na época, a quantidade de nuvens era semelhante, o que permite aos pesquisadores traçar um comparativo confiável. O resultado do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) confirma tendência de alta no corte da floresta em relação aos índices do período anterior, considerado extraordinariamente baixo para a média brasileira.

Isso também se verifica na análise das imagens acumuladas de agosto de 2009 a março de 2010, quando a subida nos índices de desmate representou 24% de um período oficial a outro. As observações por satélite identificaram a maior fatia do desmate no Pará (45%), seguido por Mato Grosso (39%). O estado paraense foi ainda responsável por 87% dos 220 km2 de degradação florestal (quando há danos na floresta, mas ainda não corte raso) para a Amazônia Legal.

Pará (48%), Mato Grosso (23%), Rondônia (11%) e Amazonas (9%) são juntos responsáveis por 90% de todo desmate na Amazônia Legal de agosto de 2009 a março de 2010. Mas analisando os desempenhos relativos de cada estado, os alertas são para o Acre, que aumentou em 80% seu índice de desmatamento em relação ao mesmo período do ano passado, seguido por Roraima (79%), Rondônia (71%), Amazonas (46%) e Pará (31%). No Tocantins houve redução relativa de 94% e de 13% menos em Mato Grosso.

Em relação às emissões de gás carbônico equivalente para os oito primeiros meses do calendário oficial de desmate (agosto de 2009 a março de 2010), os pesquisadores estimam que 65 milhões de CO2e possam ser liberadas por decomposição e queimadas, o que novamente significa um aumento de 34% em relação ao período anterior (agosto de 2008 a março de 2009).

Veja o boletim completo aqui.

Leia também

Notícias
21 de janeiro de 2022

Em discurso de pré-candidatura, Ciro Gomes defende economia de baixo carbono

Durante a Convenção Nacional do PDT, o pré-candidato diz que a pauta ambiental é um instrumento de proteção dos ecossistemas e uma oportunidade de investimento

Análises
21 de janeiro de 2022

O Agro quer seguro rural, mas precisa mesmo é do Código Florestal

Sem cumprir as leis ambientais e sofrendo com mudanças climáticas, lideranças do Agro se mobilizam para ampliar o seguro rural com dinheiro público. Rios e florestas seguem em agonia. Moro já aderiu

Reportagens
21 de janeiro de 2022

Brasil registra recorde de extremos de chuva no início do verão

Entre 1º e 31 de dezembro de 2021, a equipe técnica do Cemaden emitiu 516 alertas de risco de desastres, como deslizamentos, inundações e enxurradas, para os 1.058 municípios monitorados

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta