Reportagens

Minc em prol do Código Florestal

Manifestação organizada pelo ex-ministro Carlos Minc pede, no Centro do Rio de Janeiro, a manutenção do Código Florestal. Votação pode acontecer em dia de jogo do Brasil. 

Redação ((o))eco ·
11 de junho de 2010 · 11 anos atrás

Rio de Janeiro – Aconteceu na manhã desta quinta-feira, na escadaria da assembléia legislativa do Rio de Janeiro manifestação capitaneada pelo deputado e ex-ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. Com cerca de 50 pessoas, o protesto pedia a manutenção dos pilares do Código Florestal (CF) brasileiro.

O ato público ocorreu em resposta ao deputado Aldo Rebelo, que apresentou, na última terça-feira, o relatório da Comissão Especial que pretende alterar o CF e,  desta forma, anistiar desmatadores e reduzir os tamanhos das Áreas de Preservação Permanente (APP). Em princípio, a apresentação das emendas ao relatório de Rebelo ocorrerá na próxima quarta-feira, dia 16 de junho e a votação na Comissão pode ocorrer até o dia 23 deste mês.

“É mentira que a defesa da natureza seja conflitante com a agricultura. A proposta prevê a privatização das florestas e defende os latifundiários. Já existe um estoque gigantesco de áreas desmatadas no Brasil e que poderia ser utilizadas por agricultores familiares”, disse André Ilha, diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), presente ao evento.

O geógrafo Alceo Magnanini, um dos autores da primeira versão do Código Florestal, lançada em 1965, foi direto. “É o não cumprimento da lei que devemos combater”, afirmou, em referência aos inúmeros crimes ambientais que já existem no país. Como de costume, Minc mostrou a sua eloqüência e pediu para os participantes finalizarem o encontro com um coro, entoado pelo próprio ao microfone: “Mais alimento, sem desmatamento”. (Felipe Lobo)

Leia também

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta