Reportagens

Audiência pública com 10 anos de atraso

O porto da Cargill em Santarém será debatido após anos de funcionamento e de ter criado, segundo o Greenpeace, um ciclo de devastação na Amazônia. 

Redação ((o))eco ·
13 de julho de 2010 · 12 anos atrás
Nesta quarta-feira, dia 14 de julho, em Santarém (PA) acontecerá uma audiência pública com 10 anos de atraso.

Na pauta, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do Porto graneleiro da Cargill, uma verdadeira exceção às regras de licenciamento ambiental, pois pela primeira vez no Brasil um estudo é realizado posteriormente à conclusão da obra.
 
A audiência permitirá a participação de instituições ambientalista, como o Greenpeace, o Ministério Público do Pará e o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém, que por anos tem sido os mais aguerridos em apontar os danos de se ter um porto exportador de grãos em região de floresta amazônica. A chegada do terminal graneleiro ao Porto paraense sem base em um EIA só agravou a disputa econômica e o desmatamento na região. 
 
Com a divulgação da possibilidade de expansão da capacidade do porto da Cargill, e com mais três lotes disponíveis para arrendamento, as entidades afirmam que a Amazônia sofrerá uma intensificação do desmatamento e um novo ciclo de expansão da soja.

O EIA é o relatório responsável por medir impactos ao meio ambiente por obras de grande escala. Serve de respaldo científico na elaboração de mitigação e resolução dos impactos. 

Evento: Audiência Pública do EIA/Rima do Porto Graneleiro da Cargill

Quando: 14/07 – quarta-feira, às 9h

Onde: Iate Clube de Santarém – Rua 24 de outubro, 3718.

Mais informação:

 

Leia também

Notícias
9 de agosto de 2022

Marinha suspende bombardeio em ilha no arquipélago de Alcatrazes

Exercício militar havia sido agendado para os dias 16 e 17 de agosto na Ilha Sapata, na zona de amortecimento do Refúgio de Vida Silvestre Alcatrazes, em pleno período reprodutivo das aves

Notícias
9 de agosto de 2022

Orçamento de órgãos ambientais cai 71% sob Bolsonaro e é o menor em 17 anos

Estudo realizado pela UFRJ e ISA revela tamanho do rombo na gestão socioambiental brasileira: orçamento foi de R$ 13,1 bi em 2014 para R$ 3,7 bi em 2021

Notícias
9 de agosto de 2022

Bolsonaro nega descontrole do desmatamento e acusa povos indígenas em entrevista

Em mais de três horas de fala, o presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro, reafirmou declarações de negacionismo e descompromisso com a pauta ambiental

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta