Reportagens

Proposta de Amoêdo prevê fim dos lixões em todo o país

Plano de governo do candidato à presidência do Novo também propõe levar saneamento básico para todos os brasileiros, e confia que parcerias privadas dariam conta do desafio

Marina Lang ·
4 de outubro de 2018 · 3 anos atrás
O candidato do Novo, João Amoêdo. Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil.

Até sexta-feira (05), ((o))eco publicará textos sobre as propostas ambientais dos candidatos à presidência da República. Neste artigo, analisamos o programa protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e as declarações públicas sobre o tema de João Amoêdo, candidato do Novo.

***

Universalizar o saneamento básico e acabar com todos os lixões do país. Essa é a meta do plano de governo do candidato à presidência pelo partido Novo, João Amoêdo. O documenta avisa que é uma proposta de longo prazo. Não se sabe se esse prazo significa para além dos 4 anos de mandato.

Segundo dados do Instituto Trata Brasil, seria preciso investir uma média anual de R$ 15,2 bilhões em abastecimento de água e tratamento de esgoto nos próximos 20 anos para atingir a meta de universalização do saneamento básico em 2033, prazo estabelecido no Plano Nacional de Saneamento Básico (PNSB).

O documento protocolado no TSE aponta como objetivo da candidatura na área ambiental “deixar para as futuras gerações um país sustentável, com florestas conservadas, biodiversidade protegida, rios recuperados e uma economia de baixo carbono, que use de forma inteligente e produtiva o patrimônio natural do Brasil”.

Para alcançar esse objetivo, o programa traça 3 metas de longo prazo:

  • Universalizar o saneamento no Brasil.
  • Conciliação definitiva entre conservação ambiental e desenvolvimento agrícola.
  • Eliminar o desmatamento ilegal.

Além disso, o documento traça sete metas de curto prazo. Seguindo a cartilha liberal, quase todas as propostas indicam parceria com o setor privado como fórmula para concluir o objetivo, desde saneamento, até a “recuperação dos rios, baías e praias do Brasil”.

Propostas de curto prazo:

  • Saneamento e recuperação dos rios, baías e praias do Brasil em parceria com o setor privado.
  • Redução definitiva do desmatamento ilegal na Amazônia Legal, com mais tecnologia e fiscalização.
  • Aplicação do Código Florestal.
  • Avanço no cadastro ambiental rural e mais cooperação entre órgãos envolvidos.
  • Fim dos lixões em todo o País através de  consórcios municipais e parcerias com o setor privado.
  • Ampliação da energia renovável na matriz energética.
  • Fim dos subsídios à energia não-renovável, como gasolina e diesel.

O documento é basicamente isso. Metas ousadas que o programa não explica como caberá no orçamento. Proposta de parceria com o setor privado e defesa do uso de alguns mecanismos financeiros, como o fim dos subsídios à energia não-renovável

 

Saiba Mais

Programa de Governo – João Amoêdo

Leia Também

Se eleito, Henrique Meirelles promete priorizar saneamento básico

Marina propõe integrar políticas para reduzir emissões

Alckmin promete cumprir as metas do Acordo de Paris

 

 

 

 

  • Marina Lang

    Jornalista com 17 anos de experiência, trabalha com investigações jornalísticas na revista VEJA. Além de colaborar para ((o))eco, já passou por meios de comunicação como CNN International, Folha de S.Paulo, UOL, The Intercept Brasil, canal de TV SBT, entre outros.

Leia também

Reportagens
2 de outubro de 2018

Alckmin promete cumprir as metas do Acordo de Paris

Candidato do PSDB afirma que seu governo adotará os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável como referência no exterior, mas é vago sobre propostas para a área ambiental no país

Reportagens
3 de outubro de 2018

Marina propõe integrar políticas para reduzir emissões

Desenvolvimento sustentável com pouco destaque para proteger biodiversidade. Rede e PV enfatizam redução na emissão de gases, mas não cita ações voltadas para os biomas nacionais

Reportagens
3 de outubro de 2018

Se eleito, Henrique Meirelles promete priorizar saneamento básico

Candidato do MDB afirma que conta com a participação do setor privado para melhorar os índices de saneamento e afirma que cumprirá Acordo de Paris

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta