Salada Verde

Macacos e pessoas vítimas da febre

A morte de sete pessoas no Sul e de outras nove no Sudeste este ano por febre amarela voltou novamente a artilharia contra os macacos

Salada Verde ·
13 de abril de 2009 · 15 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

A morte de sete pessoas no Sul e de outras nove no Sudeste este ano por febre amarela voltou novamente a artilharia contra os macacos. Virou moda fácil afirmar que a doença infecciosa é transmitida por um vírus do macaco e que este o transmite ao homem. Erro crasso. Macacos-prego e outras espécies são tão vítimas da doença carregada por mosquitos quanto as pessoas, como O Eco já mostrou. Ao menos a Secretaria de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul veiculou nota em sua página, em janeiro deste ano, alertando sobre esse fato. Veja aqui. Levantamentos oficiais do ano passado apontaram a morte de aproximadamente 30 primatas em Minas Gerais, nas regiões de Montes Claros, Cabeceira Grande, Itabira, Buritis e Uberlândia; outros 6 macacos foram mortos no Mato Grosso do Sul; existem relatos de envenenamento em Goiás e de violência contra bugios em Barreiras (BA), onde um macho perdeu o braço quando foi apedrejado.

 

Leia Também

Macacos pagam o pato

Bugio não merece pedrada

Leia também

Salada Verde
2 de março de 2009

Bugio não merece pedrada

Como O Eco mostrou, já em janeiro de 2008, macacos costumam ser vítimas da ignorância quando o assunto é transmissão da febre-amarela. Desconfiados de seu papel na circulação da doença, humanos usam pedras e outras armas para dar cabo de seus parentes mais próximos no reino animal. Com os casos e mortes registrados Brasil afora neste verão, alguns órgãos públicos tentam desviar a mira da macacada. A Secretaria de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul, por exemplo, veiculou nota em sua página informando que o “bugio não transmite a febre amarela ao homem. Ao contrário, ele é a primeira vítima do mosquito transmissor da doença e, ao morrer infectado, aciona o alerta para a população. Por isso, estamos em campanha pela conservação desse primata”. O estado criou um grupo técnico para tratar da relação entre a febre e os bugios.Saiba mais:Macacos pagam o patoA culpa é sempre do mato

Reportagens
25 de janeiro de 2008

Macacos pagam o pato

A febre amarela, que já matou 10 pessoas, elevou também a morte de macacos de várias espécies. Alguns foram apedrejados e envenenados. Só em Minas há registro de 30 mortos.

Notícias
24 de julho de 2024

Os tubarões-martelo estão de volta ao arquipélago de Alcatrazes!

Pesquisa registra aumento do avistamento de tubarões-martelo no Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes, no litoral norte de São Paulo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.