Salada Verde

Mais espaço à geração eólica

De olho no mercado brasileiro, espanhóis querem marco legal para ampliar uso da força do vento. Potencial é de até 300 mil Megawatts. Projeto d Política Nacional de Energias Renováveis tramita no Senado.

Salada Verde ·
19 de novembro de 2009 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Foto: Siemens
Foto: Siemens

“Tanto a indústria de equipamentos quanto os operadores de energia eólica da Espanha têm interesse em investir no Brasil, visto o grande potencial, mas a condição para que isso aconteça é a definição de um marco regulatório seguro, que dê confiança aos investidores no longo prazo, a exemplo do que ocorreu na Espanha no ano 2002”, palavras de José Luis Ruiz Navarro, secretário da Comissão Permanente da Indústria, Turismo e Comércio do Congresso dos Deputados da Espanha.

Presidente da Comissão de Energias Renováveis da Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR) ressaltou que o projeto de lei que cria uma Política Nacional de Energias Renováveis tramita no Senado e é o primeiro passo do Brasil para definição de um marco para energias renováveis. Ele ressaltou que o plano propõe metas que o governo brasileiro terá de seguir e a criação de um fundo para incentivar a pesquisa e o desenvolvimento. Os recursos viriam dos combustíveis fósseis. “O grande mérito do trabalho da comissão foi a pressão política para que o governo passasse a dialogar com o Congresso e a sociedade sobre este tema”, afirmou, conforme nota da GP Comunicação.

ABEEólica e a consultoria Baker Tilly Brasil realizaram uma proposta de desoneração tributária para toda a cadeia produtiva eólica e que projeta a instalação de 10 mil MW ao longo de dez anos no país. Pela proposta, o custo do investimento pode cair 30% com isenção de tributos e abrir espaço, inclusive, para a energia eólica ir para o mercado livre, disputando espaço com a hidrelétrica.
 
O potencial brasileiro para geração de eólica é de pelo menos 143 mil MW, mas segundo pesquisas realizadas a partir da medição de ventos em até cem metros de altitude, pode chegar a 300 mil MW. “Temos de repensar o sistema de abastecimento elétrico nacional, que, na contramão do que o mundo está fazendo, reduziu a participação das energias renováveis de 85% para 80% e elevou a participação das térmicas”, afirmou o presidente da ABEEólica, Lauro Fiúza Júnior.

A decisão do governo brasileiro de criar um leilão específico, segundo Fiúza, deu uma importante sinalização para o setor, e a resposta foi o cadastramento de 441 projetos para o leilão, o que, caso sejam viabilizados no futuro com a realização de leilões anuais, irão somar um total de 13.341 MW de capacidade instalada. Contudo, o governo fixou o preço teto do leilão de R$ 189, o que é um valor bem abaixo do necessário para viabilizar os projetos.

“O governo quer comprar energia a preço europeu, mas aqui o investidor precisa gastar 60% a mais, além de ter um custo financeiro também muito superior”, observou Fiúza, ao acrescentar que, se o Brasil quer crescer e se transformar em uma grande nação, precisa ter energia farta, segura e distribuí-la de modo a minimizar os problemas técnicos, e para isso é importante ter fontes complementares como a eólica.

“O Brasil tem hoje geração de 105 mil MW de energia elétrica, suficiente para atender o consumo, mas os problemas ocorrem devido à grande extensão da rede – como se verificou no recente apagão –, e aí seria muito importante utilizar a energia eólica e a bioeletricidade para distribuir melhor essa energia”, defendeu o executivo.

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta