Salada Verde

Escalar, coletar, preservar

Dias 12 e 13 de dezembro, em Uberlândia (MG), o Instituto Brasileiro de Florestas e o biólogo Alexandre Colleto da Silva promovem um curso nada comum: escalada para coletores de sementes nativas da Mata Atlântica.

Salada Verde ·
9 de dezembro de 2009 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Foto: IBFlorestas
Foto: IBFlorestas

Com o curso, a coleta se tornará mais segura. Além dos equipamentos, derivados da escalada em cavernas, as técnicas possuem padrões de certificação que seguem normas rigorosas.

Um dos raros instrutores que usa a ascensão vertical para a coleta de sementes, Silva conta que na Região Norte há mais adeptos da técnica, por hobbie ou pesquisa, e que ela também abrirá aos agricultores possibilidades para prestação de serviços na área ambiental, como resgate de fauna, coleta de sementes, estudos comportamentais de fauna e monitoramento de ninhos, atendendo a uma demanda crescente por esse tipo de trabalho.

Sem falar na qualificação da própria coleta de sementes. “Agora, eles poderão ter acesso a lugares em que só poderiam realizar seu trabalho com auxílio de instrumentos como o podão botânico (foto), uma haste de alumínio com uma guilhotina na extremidade, que é manuseada do solo por meio de uma pequena corda pelo coletor”, explicou Colleto, em nota do instituto.

Mais informações aqui.

Leia também

Análises
29 de novembro de 2021

Compatibilizar o incompatível é solução pra quê?

Querem mudar a Lei do SNUC através de um instrumento obtuso sem suporte científico, que ignora tudo que a legislação estabelece no que concerne à proteção da nossa biodiversidade

Salada Verde
29 de novembro de 2021

ICMBio abre concurso para 171 vagas

Edital publicado nesta segunda-feira (29) oficializa o concurso para servidores do órgão ambiental, com 61 vagas para analistas e 110 de técnicos

Notícias
29 de novembro de 2021

Conama volta a debater proposta que restringe cadastro de entidades ambientalistas

As alterações propostas aumentam a burocracia e diminuem a ampla participação das entidades ambientalistas no Conama. Organizações socioambientais pedem pela rejeição do projeto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta