Salada Verde

Devorador de cocos

Estranho gigante que respira fora d´água está ameaçado pela caça e sumiu de várias ilhas no Índico e Pacífico.

Salada Verde ·
9 de março de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
foto: Divulgação/K. Singer
foto: Divulgação/K. Singer

Pesando cerca de quatro quilos e medindo até 40 centímetros (90 com as patas esticadas), o caranguejo-do-coco Birgus latro vive em florestas litorâneas dos oceanos Índico e Pacífico. Como na natureza tamanho não é documento, a espécie precisou de estranhas adaptações para sobreviver fora do mar, onde sua vida começa. Sem o equipamento respiratório que permite a seus parentes respirar sob a água, o caranguejo desenvolveu um órgão especial, que emite um curioso som a cada respiração. Passado um mês de seu nascimento, o animal deixa o mar para ganhar a terra, onde quando jovem pode ser visto roubando comida de desatentos turistas. Como o nome sugere, ele se alimenta de cocos. Não raro pode ser visto levando o alimento para o alto das árvores, de onde o deixa cair para quebrar sua casca. Também aprecia frutas frescas e costuma caçar ratos e outros pequenos animais. Aliás, o caranguejo também é caçado pela população humana, o que provocou seu sumiço de muitas ilhas na região. Um programa de reprodução em laboratório, encabeçado por especialistas da Universidade de Brisbane (Austrália), vem obtendo certo sucesso em gerar filhotes para repovoar esses ambientes. No entanto, é preciso atuação mais forte, tanto em terra quanto no mar, reconhecem os cientistas. As informações são da NewScientist.

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta