Salada Verde

Meia volta ao lar

Araras brasileiras foram repatriadas esta semana, mas seu destino são zoos. Espécies enfrentam alto risco de extinção.

Salada Verde ·
26 de março de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
foto: Dpto. Ecologia/USP
foto: Dpto. Ecologia/USP

As aves estavam lá desde 2006, quando chegaram por meio de um programa de cooperação para conservação de animais ameaçados. As duas araras, depois de passarem por exames e acompanhamento em uma “quarentena” no zoológico de Cananéia, serão enviadas a outros zoológicos. Nada de natureza selvagem, pois nasceram ou se adaptaram completamente ao cativeiro. 

Ambas são endêmicas da caatinga baiana, ou seja, só ocorrem ou ocorriam naquela região. Sua extrema ameaça de extinção se deve à captura para tráfico e perda de habitat por desmatamento e outras atividades humanas. O programa de reprodução da ararinha-azul (foto) tem apenas 80 aves, distribuídas em centros no Brasil (Zoológico de São Paulo e Fundação Lymington), Espanha (Fundação Loro Parque), Alemanha (ACTP) e Qatar (Al Wabra Wildlife Preservation), essa último alvo de reportagem de O Eco (veja aqui).

Já a arara-azul-de-lear enfrenta situação um pouco melhor. Há indivíduos em ambiente natural em municípios baianos como Canudos, Jeremoabo, Euclides da Cunha e Sento Sé. Mas exemplares da espécie têm sido apreendidos em poder dos traficantes. Alguns já foram confiscados em outros países e repatriados.

Leia também

Notícias
6 de dezembro de 2021

Servidores ambientais sofrem emboscada durante fiscalização contra invasores em reserva de RO

Emboscada aconteceu no entorno do Parque Estadual Guajará-Mirim. Invasores usaram uma criança como escudo para evitar que policiais atirassem. Um servidor foi baleado

Salada Verde
6 de dezembro de 2021

General Heleno defende garimpo em áreas de fronteira na Amazônia

“Continuaremos a mapear nossas riquezas pelo bem do Brasil e do nosso povo” disse ministro do Gabinete de Segurança Institucional, em resposta à denúncia da Folha de S. Paulo

Notícias
6 de dezembro de 2021

Queimada iniciada em pasto atinge Estação Ecológica de Murici, em Alagoas

Incêndio iniciou na quinta-feira (2) e levou mais de 13 horas para ser contido. Multa para o proprietário da fazenda onde iniciou o fogo foi calculada em 312 mil reais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta