Salada Verde

A caminho de Cancun

Em uma das últimas rodadas de negociações antes de nova conferência da ONU sobre mudanças climáticas, dúvidas sobre metas de redução ainda persistem.

Redação ((o))eco ·
4 de outubro de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
A secretária-executiva da UNFFCC, Christiana Figueres: "Governos precisam retomar confiança uns nos outros" (foto: ISSD)
A secretária-executiva da UNFFCC, Christiana Figueres: "Governos precisam retomar confiança uns nos outros" (foto: ISSD)

Começou nesta segunda-feira, na cidade Tianjin, China, mais uma rodada de negociação da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. O encontro precede a 16o Conferência da Partes (COP 16) que ocorrerá em novembro em Cancun no México, onde será debatida a implementação do controvertido acordo de Copenhague, firmado no fim do ano passado. O documento estabelece um objetivo de se evitar um aumento na temperatura global acima dos 2oC centígrados sobre os níveis pré-industriais. Para tanto, falta ainda o estabelecimento formal das metas de redução de emissões de gases de efeito estufa por cada país.

Leia a cobertura completa da Conferência de Copenhague

O principal problema segue sendo a baixa ambição generalizada. De acordo com cálculos feitos pelo Greenpeace, com as atuais metas apresentadas, o mundo ainda estará produzindo, em 2020, algo entre 7% e 14% a mais da quantidade de carbono necessária para estabilizar o clima do planeta. Ou em outras palavras, a temperatura será 3oC mais alta e não 2oC como o acordado em Copenhague.

 A análise das organizações ambientalistas é de que as propostas não vão melhorar se 1) os Estados Unidos não mostrarem compromisso total com a redução de emissões e 2) se não houver acordo sobre a continuidade do Protocolo de Kyoto após 2012. No primeiro caso, depende apenas do presidente Barack Obama mostrar políticas a seu alcance, visto que uma legislação nacional não foi aprovada no Senado americano.

Já questão legal – ou seja se haverá um novo protocolo ou se permanece Kyoto – não será resolvida ainda este ano. A própria secretária-executiva da Convenção do Clima, Christiana Figueires, mencionou em seu discurso de abertura nesta segunda que os governos precisam retomar a confiança entre eles para que as negociações de fato possam avançar. “Governos precisam concordam sobre o que é possível em Cancun e como isso será realizado de uma maneira politicamente balanceada”, disse. (Gustavo Faleiros)

Link – Vídeo 
Conferência de imprensa com a secretária executiva da Convenção das Nações Unidas, Christiana Figueres.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta