Salada Verde

Novas apreensões de aves em João Pessoa

Operações em feiras livres revelam o comércio ilegal de animais silvestres. Em duas semanas, cerca de 280 exemplares foram resgatados.

Redação ((o))eco ·
31 de janeiro de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Gaiolas apreendidas com espécies da fauna silvestre (foto: divulgação Ibama)
Gaiolas apreendidas com espécies da fauna silvestre (foto: divulgação Ibama)

O Ibama apreendeu nesse domingo, dia 30, cerca de 64 aves silvestres que estavam sendo comercializadas nas feiras livres de Oitizeiro e de Bayeux, na Grande João Pessoa.

A Operação, batizada de Via Apia (em homenagem a uma das primeiras estradas da Roma antiga onde era comum a passagem de elefantes, leões e outros animais, o que hoje seria considerado biopirataria) , tenta coibir a manutenção de animais silvestres em cativeiro sem autorização.

Cerca de 40 pessoas foram autuadas e terão que pagar multas que variam entre R$ 500, R$ 1 mil (se for caracterizado a intenção de venda dos animais) para cada ave apreendida. No caso das espécies ameaçadas de extinção, os acusados terão que pagar R$ 5 mil para cada animal apreendido.Duas pessoas foram apresentadas à delegacia porque eram reincidentes. A operação foi realizada com o apoio da Polícia Ambiental e a Polícia Militar.

As aves apreendidas foram depositadas no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que tem a finalidade de recepcionar, triar e tratar os animais silvestres resgatados ou apreendidos pelos órgãos fiscalizadores, segundo informações no site do IBAMA.

Curió apreendido em João Pessoa (foto Ibama/divulgação)
Curió apreendido em João Pessoa (foto Ibama/divulgação)

As aves apreendidas foram caboclinho, canário da terra, azulão , sibito, galo-de-campina, bico-de-lacre, papa-capim, coleiro, sabiá, sanhaçucinzento. Também resgatado um pintassilgo do nordeste, ave ameaçada de extinção

As aves passarão por uma quarentena e serão reabilitadas para fazerem parte de programas de reintrodução de animais silvestres que estão sendo conduzidos pelo CETAS.

De acordo com o superintendente do IBAMA na Paraíba, Ronilson José da Paz, que participou da operação, houve uma redução do número de animais apreendidos nas feiras. “Na semana passada, foram apreendidas 220 aves e hoje 64, com uma redução de quase 60% do número de animais apreendidos, mostrando que a ação do IBAMA está surtindo efeito”, concluiu.

A operação foi realizada com o apoio da Polícia Ambiental e Polícia Militar.

Para denunciar a venda e comercialização de animais silvestres, entre em contato com a Rede Nacional Contra o Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) 

Para outros crimes ambientais ou informações sobre órgãos ambientais estaduais, entre em contato com a ouvidoria do Ibama, o Linha Verde. A ligação é gratuita: 0800 61 8080. (Daniele Bragança)

Leia também

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Notícias
1 de dezembro de 2021

Amazônia acumula 73 mil focos de incêndio em 2021, segundo dados do INPE

Há menos de uma semana, Bolsonaro voltou a afirmar que “floresta úmida não pega fogo”. Número de queimadas no Pampa segue em alta

Notícias
1 de dezembro de 2021

Audiência Pública discute projeto de lei que quer municipalizar áreas de preservação em Angra dos Reis

Projeto que altera gestão da APA Tamoios é da deputada Célia Jordão, esposa do prefeito de Angra. Cerca de 40 organizações se manifestaram contrárias ao PL

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Treep diz:

    Vejo como de extrema importância a preservação dessas areas,
    o turismo agradece e deve ser feito de forma consciente.
    Não sei o que é melhor, mas com o governo atual, municipalizar talvez não seja tão ruim , desde que seja com leis próprias que garantam manter preservado e fiscalizado.