Salada Verde

Itália prova carne orgânica do Pantanal

Em parceria com o WWF, associação de produtores orgânicos promove degustação para cozinheiros do velho continente.

Redação ((o))eco ·
24 de março de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Daniele Bragança

Nesta quinta-feira (24), haverá uma apresentação da carne orgânica do Pantanal a um público especializado dos setores de alimentos e varejo na cidade de Mosciano Sant’Angelo, região de Abruzzo, na Itália. A ação, que tem apoio do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, e promovida pela Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO) – ABPO Pantanal Orgânico – com parceria do WWF.

A degustação faz parte de um conjunto de atividades voltado para a divulgação da economia do Estado. Em fevereiro, o presidente da ABPO, Leonardo Leite de Barros, e o coordenador do Programa Pantanal para Sempre do WWF Brasil, Michael Becker, estiveram na feira mundial de produtos orgânicos, a Biofach, em Nuremberg, na Alemanha, considerada a maior feira do ramo no mundo. Falaram para 80 convidados sobre as qualidades da carne orgânica do Pantanal.

“Após Nuremberg, fomos à Itália para encontrar pessoas que contatadas pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, que tinham visitado nossas propriedades no Pantanal em 2010. Lá, depois de contatos com empresários locais, resolvemos oferecer uma degustação em um famoso restaurante da região, tendo como responsável pelo cardápio um chef local ”, conta Leonardo.

A Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO) foi criada em 2001 por pecuaristas da região do Pantanal. Por ser orgânica, agrega valor à carne do Pantanal através da melhoria da rentabilidade do negócio pecuário, associado a baixos impactos.

A associação envolve 20 fazendas localizadas nas sub-regiões da Nhecolândia e Nabileque no Pantanal sul-mato-grossense, totalizando mais de 110 mil hectares, com um rebanho estimado em 55 mil cabeças de gado.

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta