Salada Verde

Suposta saída de chefe da APA de Guapimirim gera protesto

Informações sobre a exoneração de Breno Herrera provocaram uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Rio. ICMBio não confirma saída.

Daniele Bragança ·
7 de abril de 2012 · 10 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Acima, Breno Herrera, chefe da APA de Guapimirim há sete anos. Embate com o Comperj pode ter gerado pedido de exoneração. Foto: Funbio
Acima, Breno Herrera, chefe da APA de Guapimirim há sete anos. Embate com o Comperj pode ter gerado pedido de exoneração. Foto: Funbio

As escadarias da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) foram ocupadas na quinta-feira passada (05/04) por cerca de 50 pessoas, entre ambientalistas e biólogos, para protestar contra as informações que circularam dando conta da exoneração do chefe da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guapimirim, o analista ambiental Breno Herrera, que está no cargo há 7 anos. Uma faixa em apoio a Breno foi fixada.

Segundo o Blog Verde, de O Globo, Breno soube que seria exonerado no dia 29, durante conversa com Pedro de Castro Cunha Menezes, diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBio. No entanto, nada é certo. A ordem de exoneração ainda não saiu no Diário Oficial e os rumores que circulam nessa segunda-feira (09/04) são de que o governo desistiu da decisão.

O principal motivo para a exoneração seria o embate de Breno com o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), uma novela antiga: o Comperj quer usar o Rio Guaxindiba, que fica dentro dos limites da unidade de conservação APA de Guapimirim, para navegação de embarcações para o transporte de equipamentos pesados.  Segundo o empreendimento, essa é a única saída para que a Petrobras cumpra os prazos das obras do Comperj. O chefe da APA sempre vetou a utilização do rio para esse ou outro fim. A mudança do chefe da unidade faria com que a decisão pudesse ser flexibilizada.

Em Brasília, fontes ligadas ao ICMBio citam o secretário de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, como interventor para a manutenção de Breno no cargo. A própria ministra Izabella Teixeira declarou que a decisão de exonerar Breno não passa de um boato. É difícil mensurar qual foi o efeito do protesto de quinta-feira passada, na Alerj, mobilizado via Facebook, para segurar Herrera no cargo. Mas aparentemente, pelo menos por enquanto, ele fica.

Nota editada na segunda-feira, 09/04, às 17h30.
  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Salada Verde
20 de outubro de 2021

Em comemoração de seus 10 anos, Onçafari lança concurso de fotografia

Fotógrafos profissionais e amadores podem se inscrever até o dia 14 de novembro. Vencedores terão a oportunidade de fotografar a fauna e flora existentes na sede da Onçafari, no Pantanal

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta