Salada Verde

Prorrogado prazo de concurso para centro que monitora desastres

Cemaden, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, vai preencher 15 vagas para candidatos com doutorado. Inscrição vai até sexta

Redação ((o))eco ·
20 de março de 2014 · 8 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Concurso prolongado. Foto: Pixabay.

Foram prorrogadas até essa sexta-feira (21) as inscrições para o concurso que vai preencher 15 vagas de pesquisador do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), instituto ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

São oferecidas 3 vagas para as especialidades Geodinâmica ou Geologia, 3 para Hidrologia, 2 para Meteorologia; 3 para Desastres Naturais; 1 para Agrometeorologia; 1 para Fogo, Vegetação e Desastres Naturais e 2 vagas para Modelagem de Desastres Naturais. Todas as vagas exigem que os candidatos tenham concluído o doutorado.

O concurso acontecerá em duas parte. A primeira é a realização de uma prova escrita de conhecimentos específicos e a segunda será a análise de títulos e currículo. A seleção ocorrerá na cidade de São José dos Campos (SP) e, portanto, as inscrições devem ser feitas pessoalmente ou por procuração na sala do Cemaden, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, situado à Estrada Doutor Altino Bondesan, 500, Distrito de Eugênio de Melo (Rodovia Presidente Dutra, km 137,8) ou na sede do Cemaden, localizado no campus do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), situado à Rodovia Presidente Dutra, km 39, em Cachoeira Paulista (SP).

O edital pode ser conferido em no site do Cemaden.

 

Leia Também
Governo lança mapa de áreas sujeitas a desastres naturais
Autorizado concurso para o Ministério do Meio Ambiente
Governo lança edital para o concurso do ICMBio

Leia também

Notícias
22 de outubro de 2021

“Adote um ninho”: Conheça a campanha para a preservação dos papagaios brasileiros

Campanha busca incentivar a proteção dos papagaios por meio da construção de ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais, que estão diminuindo por conta do desmatamento

Análises
22 de outubro de 2021

Por uma nova onda de soluções para a resiliência e a saúde do oceano

Estudo do FMI estima que 8 milhões de toneladas de lixo plástico acabam no mar todos os anos, sendo 80% provenientes do continente. Se não mudarmos esse quadro, o oceano terá mais lixo do que peixes até 2050

Salada Verde
21 de outubro de 2021

Polícia Civil do Maranhão prende um dos homens que matou onça preta e se gabou nas redes sociais

Corpo do animal abatido foi filmado por três homens, que comemoraram o feito. O homem preso também será multado pelo Ibama.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. MARLI ALVES PEREIRA VASCONCELLOS diz:

    Não entendo o porquê esconder o rosto do homem, adulto!! Ele mostrou a cara nas redes sociais!! É preciso identificar criminosos.