Salada Verde

Pará tem o primeiro viaduto para travessia de fauna no país

Trecho de estrada de ferro que corta a Floresta Nacional de Carajás ganha uma passagem. Obra foi condicionante para que a Vale recebesse a autorização para construir o ramal

Sabrina Rodrigues ·
15 de maio de 2017 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Passagem da fauna em trecho que corta a Floresta Nacional de Carajás. Foto: Ibama.
Passagem da fauna em trecho que corta a Floresta Nacional de Carajás. Foto: Ibama.

O primeiro viaduto de passagem de fauna do país foi instalado pela mineradora Vale no Ramal Ferroviário Sudeste do Pará, novo trecho de rodovia que escoa a produção da maior mina de minério de ferro do país com a ferrovia de Carajás. O viaduto, condicionante imposta pelo Ibama para que o empreendimento recebesse a licença de instalação, foi construído num trecho da ferrovia que corta a Floresta Nacional de Carajás.

Para assegurar o direcionamento dos animais, o viaduto foi cercado de arame galvanizado de 2,2 metros de altura ao longo de 100 metros de extensão para cada lado dos acessos. Espécies arbustivas e de pequeno porte foram plantadas nas laterais.

Segundo o Ibama, outras 30 passagens, entre viadutos e túneis, foram instaladas ao longo dos 100 quilômetros do ramal e já existem registros do trânsito de capivaras, tatus, jaguatiricas, tamanduás-bandeira, cachorros do mato, cutias, iguanas e gatos-mouriscos.

Atropelamento de fauna

Estradas e ferrovias causam problemas diretos e indiretos à fauna. De forma direta, ocasionam mortalidade aos animais, acarretando a perda de espécies por atropelamento. Indiretamente, geram o efeito barreira, pois os indivíduos não são encorajados a atravessar estradas e rodovias, e por conta disso, problemas como isolamento e perda de variabilidade genética são crescentes, acarretando extinções locais e regionais.

A minimização do problema, principalmente em ramais que cortam áreas florestais, é a construção de passagem de animais, tanto túneis submersos quanto viadutos e passagens aéreas.

O atropelamento de fauna é um problema ambiental sério, responsável por ceifar a vida de 475 milhões de animais silvestres vertebrados por ano nas estradas brasileiras, segundo estimativas produzidas pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas.

 

Leia Também

Atropelamento de fauna: desastre ambiental fácil de evitar

Estradas transformam a Terra em um planeta de retalhos

Projeto de Lei quer reduzir atropelamento de animais

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
8 de abril de 2015

Projeto de Lei quer reduzir atropelamento de animais

Proposta obriga adoção de medidas nas rodovias. Estima-se mais de 475 milhões de atropelamentos de animais silvestres por ano no país.

Notícias
15 de dezembro de 2016

Estradas transformam a Terra em um planeta de retalhos

Ainda existe muita área livre dos impactos diretos das rodovias, mas a grande maioria são fragmentos bem pequenos.

Análises
1 de julho de 2014

Atropelamento de fauna: desastre ambiental fácil de evitar

A Ecologia de Rodovias dispõe de conhecimento sobre como gerir uma estrada, mitigando os efeitos sobre a fauna. Falta colocar em prática.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Guilherme Cerbella diz:

    Aguardo há anos por esses ecodutos… que estejam em todas as estradas do País… que estejam incluídos nos novos projetos de engenharia de estradas… que façam parte de um capítulo abordando a questão ambiental no manual do condutor… que paremos de exterminar nossos irmão sencientes de morada e de evolução nas nossas estradas! Campeão mundial de mortes por atropelamento nas estradas há anos… triste título para o nosso País!