Salada Verde

Projeto Ilhas promove exposição e palestra sobre baleias e golfinhos

Mostra gratuita irá até 22 de julho, em Copacabana, no Rio. No sábado (23), a pesquisadora Liliane Lodi falará sobre algumas curiosidades e dados a respeito desses animais

Sabrina Rodrigues ·
21 de junho de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Golfinho-flipper (Tursiops trucatus), Ilha rasa – Foto: Bia Hetzel.

O Projeto Ilhas do Rio está promovendo até o dia 22 de julho, a exposição “Cetáceos do MoNa Cagarras”, no Centro de Visitantes da Colônia de Pescadores de Copacabana (Z-13), no Posto 6, Rio de Janeiro. A mostra, que é gratuita, traz informações e imagens exclusivas sobre o monitoramento de golfinhos e baleias no Monumento Natural das Ilhas Cagarras, localizado a cinco quilômetros da praia de Ipanema.  Os visitantes poderão contemplar fotografias, ossadas doadas pelo Instituto Baleia Jubarte, além de conhecer mais dos resultados científicos publicados na forma de artigos, vídeos e livros.

Como parte da programação da exposição, dia 23, sábado, haverá uma palestra com a especialista em golfinhos e baleias, Liliane Lodi, sobre esses animais que podem ser vistos de tempos em tempos na orla carioca. A pesquisadora falará sobre as principais áreas de ocorrência, estações do ano, comportamento desses animais, ameaças, além da sua importância ecológica e socioeconômica.

Desde 2011, o Projeto Ilhas do Rio vem monitorando o aparecimento de baleias e golfinhos na região do MoNa Cagarras, considerada uma importante área de cria para os filhotes. A principal espécie avistada é a dos golfinhos-flípper (Tursiops trucatus), que, segundo Liliane Lodi, desapareceu das ilhas em 2004 e retornou apenas em 2016. Além dos golfinhos-flípper, outras espécies de cetáceos, como os golfinhos-de-dentes-rugosos (Steno bredanensis), baleias-de-bryde (Balaenoptera edeni) e baleias-jubarte (Megaptera novaeangliae) também podem ser observados nas ilhas em diferentes épocas do ano.

“A observação desses animais em seu ambiente natural sustenta o ecoturismo em diversos países. Aqui no Brasil, podemos destacar, por exemplo, o turismo de observação dos botos tucuxi e vermelho na região amazônica, que oferece oportunidades para o desenvolvimento econômico das comunidades  ribeirinhas”, explica Liliane.

Após a palestra, o chefe da colônia de pescadores de Copacabana comandará um bate-papo para falar sobre a atividade pesqueira e as principais espécies de peixes encontradas na região.

Baleia-de-bryde (Balaenoptera edeni), Pedra da Gávea. Foto: Bia Hetzel.

 

SERVIÇO:

Mostra/Palestra: CETÁCEOS DO MONA CAGARRAS

Local: Centro de Visitantes da Colônia de Pescadores de Copacabana (Z-13) – Posto 6, Rio de Janeiro.

Data da MOSTRA: 1 de junho a 22 de julho de 2018.

Horário: de quinta a domingo, das 9 às 18h.

PALESTRA: Dia 23 de junho.

Horário da palestra: 10h.

Entrada franca

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
26 de outubro de 2021

Assim como desmatamento, exploração madeireira avança pelo norte de Rondônia

Divisa entre RO, MT e AM é conhecida como a “nova fronteira do desmatamento”. Do total explorado no estado, em ao menos 5 mil hectares e retirada de madeira foi feita de forma ilegal

Reportagens
26 de outubro de 2021

Banco Mundial empresta dinheiro a estados do Brasil em troca da conservação da Amazônia

Instituição financeira decide “fincar pé” na questão ambiental e impõe medidas de combate ao desmatamento em financiamentos para Mato Grosso e Amazonas, explica o executivo Renato Nardello

Reportagens
25 de outubro de 2021

Exploração ilegal de madeira aumenta no Mato Grosso e chega a 88,3 mil hectares em 2020

Ilegalidade atinge 38% da área total utilizada para extração de madeira no estado. Mais de 10 mil hectares explorados de forma ilegal foram em áreas protegidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta