Salada Verde

Vídeo de jacarés no Pantanal é utilizado para propagar fake de invasão de crocodilos

Filmagem foi utilizada de forma descontextualizada no Twitter. Em inglês e francês, postagens dizem que registro trata-se de invasão à praia brasileira

Michael Esquer ·
16 de setembro de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Uma invasão de centenas, até milhares, de crocodilos inundou uma praia brasileira e está causando pânico na população. Isto é o que dizem publicações com informações falsas que circulam na internet nesta semana. A mensagem foi replicada, principalmente no Twitter, por diversas contas em inglês e francês. A contradição, porém, reside no seguinte fato: o vídeo utilizado nas postagens, além de estar fora de contexto, mostra, na verdade, um amontoado de jacarés no Pantanal. 

“Pra vocês que nunca viram jacaré, Rio Nabileque, Pantanal do Mato Grosso do Sul, município de Corumbá”, diz um homem no vídeo que está sendo compartilhado. Enquanto filma, ele deixa claro que não se trata de uma região litorânea. Em comentários, internautas do Brasil alertaram, também em inglês, sobre a informação falsa, que foi veiculada até mesmo por contas verificadas. Até esta sexta-feira (16), uma das postagens tinha mais de 7 milhões de visualizações e 148 mil curtidas. O recorte utilizado para propagar a notícia falsa mostra uma parte do rio, que, à primeira vista, pode de fato ser confundido com uma praia. Apesar de não haver comprovação da data, um registro mais longo da filmagem não deixa dúvidas: trata-se de um rio. 

Printi do vídeo de jacarés no Pantanal em Tweet com notícia falsa sobre “invasão de crocodilos” em praia brasileira. Foto: Captura de Tela/Twitter 

Já o tal “crocodilo” (Crocodylus porosus) nada tem de tão assustador ao ponto de causar o pânico entre a população da cidade da suposta “praia”, que não existe. Isto porque o réptil que aparece no vídeo, na verdade, trata-se de um jacaré-do-pantanal (Caiman Yacare), uma das várias espécies típicas do bioma, e que nos últimos anos vem sofrendo com a perda de cobertura de água no bioma

“Em várias regiões do Pantanal, os jacarés permanecem aglomerados por causa da água, na tentativa de sobreviver. A situação é desesperadora, muitos já morreram, não resistem à fome. Os mais resistentes conseguem sobreviver até as chuvas voltarem”, disse a ((o))eco, Zilca Campos, pesquisadora da Embrapa Pantanal, ao explicar que, geralmente, os jacarés se concentram nos corpos de água remanescentes. A cena do vídeo, diz ela, tem ocorrido com frequência, desde 2019, por conta do período de estiagem que atinge o bioma. 

Sobre o jacaré-do-pantanal

O jacaré-do-pantanal mede entre dois a três metros de comprimento e seu padrão de coloração é bastante variado, sendo o dorso particularmente escuro, com faixas transversais amarelas, principalmente na região da cauda. A espécie habita na parte central da América do Sul, incluindo o norte da Argentina, o sul da Bolívia e o Centro-Oeste do Brasil, especialmente no Pantanal e em rios do Paraguai. O réptil possui hábitos semiaquáticos e vive especialmente em áreas alagadas. Peixes, insetos, mamíferos e aves fazem parte da alimentação do animal, que pode viver até aproximadamente 50 anos.

  • Michael Esquer

    Jornalista em formação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com passagem pela Universidade Distrital Francisco José de Caldas, na Colômbia, tem interesse na temática socioambiental e direitos humanos

Leia também

Notícias
14 de setembro de 2021

Pantanal: Jacaré debilitado é resgatado de rio seco e transferido para local onde ainda há água

Equipes de resgate precisam avaliar qual animal ainda tem chance de sobreviver e pode ser resgatado. É Corrida contra o tempo para evitar a morte de mais animais silvestres

Reportagens
4 de maio de 2015

“Showman” dos animais é atacado por jacaré no Pantanal

Conhecido por manipular animais silvestres, o polêmico apresentador Richard Rasmussen foi hospitalizado e abandonou a gravação em campo.

Notícias
13 de setembro de 2021

Luta contra a fome e a sede: realidades duras enfrentadas pela fauna pantaneira

Macacos-pregos ficam entusiasmados após verem que o Grupo de Resgate de Animais em Desastres estava com frutas e param de evitar contato. Escassez de alimentos explica mudança no comportamento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta