Fotografia

A difícil arte do auto-retrato

Nem sempre o lugar do fotógrafo é atrás da câmera. Saber trabalhar bem a luz e o reflexo proporciona belos efeitos quando aparecer é mais do que uma discreta experiência.

Palê Zuppani ·
14 de agosto de 2009 · 12 anos atrás
“Minha vida é andar
Por este país
Prá ver se um dia
Descanso feliz
Guardando a recordação
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
Dos amigos que lá deixei”    (Luiz Gonzaga)

 

Clique para ver o slideshow
Clique para ver o slideshow

Acredito que todo viajante se identifica com os versos do mestre Luiz Gonzaga. Comigo não é diferente. Além de cheiros, sons, coisas e pensamentos, tenho muitas imagens que trazem lembranças de inúmeras aventuras e histórias da minha vida. Muitas dessas imagens foram eternizadas por meio de fotografias, as quais estão cheias de sentimentos.

Dos vários temas que a fotografia pode nos proporcionar, escolhi o auto-retrato para demonstrar um pouco dessas lembranças. Fotografar a si mesmo é sempre uma tarefa difícil. Não pelo simples aparecer, mas por buscar o algo a mais de cada imagem, e dessa forma usei-me de outras maneiras de auto-retrato, a sombra e o reflexo, para compor esse ensaio. E já que a foto é feita de luz, vou clareando minhas idéias e refletindo minha alma.

Boas lembranças!

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta