Notícias

Expedição Criosfera – Problemas médicos decorrentes do frio

Os problemas médicos que os pesquisadores enfrentam na Antártica incluem as queimaduras de frio, a hipotermia e a insuspeita desidratação.

Jefferson Simões ·
19 de janeiro de 2012 · 11 anos atrás
Pesquisadores no gelo. Foto: Alexandre Alencar
Pesquisadores no gelo. Foto: Alexandre Alencar
Hoje, com a facilidade de montar-se uma dieta balanceada e roupas leves e térmicas, os problemas médicos foram muito atenuados e casos de mortes por exposição ao frio são raros. No entanto, temos que estar alerta aos seguintes problemas:

Queimadura pelo frio (frostbite) – é início do processo de congelamento de parte do corpo. Se for externa, na epiderme, formará uma bolha parecida àquela de queimadura por calor. Se rapidamente tratada, problemas graves são evitados. Mas caso progrida para os vasos internos de um artelho, isso poderá levar a gangrena e amputação. Ainda hoje ocorre com aqueles que descuidadamente tiveram que trabalhar com metal sem proteção para a mãos (ou perderam suas luvas). Os dedos dos pés também são atingidos. Secar as botas e mudar as meias diárias frequentemente é essencial. Além disso, temos que observar constantemente se não há manchas brancas no nariz e bochechas de nossos colegas, este será o primeiro sinal de queimadura por frio!

Hipotermia – Um dos problemas mais graves, pois se dá lentamente e geralmente percebido em estado mais adiantado. A temperatura do corpo como um todo cai, por exposição aos elementos, e pode ser acelerada pela má alimentação e desidratação. Ao chegar a 35°C o corpo já está tremendo, mas mais grave será quando passado este estágio, o explorador começar a sentir-se sonolento. É claro, se progredir levará a morte.

Desidratação – O problema médico mais frequente, recorrente em várias expedições ou até mesmo em estações. O interior da Antártica é muito seco e alto, e isso facilita a perda de água do corpo. O problema é que o frio mascará a desidratação e o indivíduo não sente sede. Geralmente Identificado pela dor de cabeça, dificuldade para dormir, urina escurecida e irritação.

Estamos dentro da maior reserva de água potável do mundo, infelizmente toda no estado sólido. Assim, umas das atividades essenciais de nosso acampamento é manter sempre uma panela derretendo neve.

Leia também

Reportagens
27 de janeiro de 2023

Apib representa criminalmente ex-presidente Jair Bolsonaro por omissão na proteção do território Yanomami

Além do ex-mandatário, o ex-presidente da Funai, Marcelo Xavier e a ex-ministra e atual senadora Damares Alves são citados. A ação destaca possível incentivo para invasões da área protegida

Notícias
27 de janeiro de 2023

Mauro Mendes quer “desfederalização” do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

É a primeira vez que um parque federal seria transformado em estadual no País, aponta Rede Pró-Unidades de Conservação. Alteração pode diminuir poder de acionar mecanismos de proteção

Notícias
27 de janeiro de 2023

Justiça federal e estadual avaliam três ações civis públicas contra Complexo Termelétrico em Macaé

Desabastecimento hídrico e poluição atmosférica estão entre as irregularidades apontadas pelo Instituto Arayara, que reivindica estudos fundamentais negligenciados no licenciamento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta