Notícias

Onça parda resgatada de armadilha vai para criadouro

Pata dianteira sofreu danos após animal ficar 2 dias preso num laço usado para caçar capivara. Dificilmente o bicho voltará para a natureza

Daniele Bragança ·
11 de outubro de 2013 · 9 anos atrás

Se recupera bem a onça parda resgatada há duas semanas (28) pela Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul. O animal foi encontrado preso numa armadilha, bem próximo do rio Dourados, no município de Fátima do Sul, Mato Grosso do Sul.

Nervosa e debilitada, ficou sob os cuidados do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) do estado. “A onça ainda está em avaliação. Mas não precisou passar por cirurgia e provavelmente não precisará amputar a pata direita. A pata está debilitada e dura. Dificilmente o animal voltará a viver na natureza, pois é difícil caçar com um membro danificado”, explica Edson Borges, biólogo e coordenador do CRAS.

Um criadouro conservacionista em Minas Gerais já entrou em contato com o CRAS, interessado no animal. Um alívio para os veterinários, preocupados com o destino dele. Apenas no CRAS de Mato Grosso do Sul vivem 12 onças pardas (8 adultos e 4 jovens) à espera de destinação. Os zoológicos têm poucos interesses em onças pardas. “A maioria veio filhote e não tem condições de sobreviver sozinha na natureza. Eles estão no CRAS por falta de destinação”, afirma Borges.

A onça recebendo atendimento. Foto: Divulgação CRAS/MS.

A onça parda com a pata machucada foi encontrada por um pescador, que acionou a Polícia Militar Ambiental (PMA). Trata-se de um macho adulto. A equipe do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, lideradas pelo médico veterinário Álvaro Cavalcanti, que cuidou da onça, ainda não batizou o animal. Eles preferem que os nomes sejam criados no lar definitivo, por quem resolveu criar o bicho.

“Trabalhamos para que o animal volte à natureza. No caso de isso não acontecer, preferimos que os zoológicos e os criadouros batizem, já que são eles que adotam, em definitivo, o animal”, explica Borges.

Leia Também
A vida maltratada que ressurge no Cetas de Manaus
Longe do tráfico, em outras grades
Canários-peruanos apreendidos no MS

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Reportagens
12 de agosto de 2022

Conhecer para preservar: atrizes de Pantanal contam como se apaixonaram pelo bioma

Letícia e Malu explicam a paixão despertada pelo bioma durante as gravações e destacam importância da conservação para a região

Notícias
12 de agosto de 2022

Amazônia perdeu área equivalente à cidade de São Paulo em julho, mostra INPE

Números foram atualizados nesta sexta-feira. Desmatamento em 2022, segundo o Deter, chegou a 8.600 km², área quase do tamanho de Rio Branco (AC)

Notícias
12 de agosto de 2022

Monitoramento de baleias no Rio registra trânsito de 58 baleias próxima das ilhas Cagarras

Desde o ano passado, o Projeto Ilhas do Rio acompanha o corredor migratório das jubartes pelo litoral do Rio. Pesquisadores alertam para grande volume de lixo na rota das baleias

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta