Notícias

Pesquisa constata alta presença de agrotóxicos em alimentos

Anvisa: quase um terço das amostras de alimentos pesquisado em 2011 e 2012 continha ou concentração em alta ou substâncias proibidas.

Redação ((o))eco ·
31 de outubro de 2013 · 9 anos atrás
59% das amostras de morango estavam com excesso de agrotóxico ou com contaminado com substâncias proibidas. Foto: DigaoSPBR/Flickrs
59% das amostras de morango estavam com excesso de agrotóxico ou com contaminado com substâncias proibidas. Foto: DigaoSPBR/Flickrs

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou essa semana (29) os resultados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) em 2011 e 2012, que avalia os níveis de resíduos de agrotóxicos nos alimentos que chegam à mesa do consumidor. Os resultados não são animadores. Por exemplo, nas 1.665 amostras dos 7 alimentos (Abacaxi, arroz, cenoura, laranja, maça, morango e pepino) monitorados em 2012, a pesquisa acusou altos índices de contaminação por inseticidas ou substâncias não permitidas em 59% das amostras de morango, 42% dos pepinos, 41% dos abacaxis e 33% das cenouras.

A pesquisa, desenvolvida desde 2001, através da análise de produtos agrícolas monitorados em todos os estados do país, consegue traçar um perfil da qualidade dos alimentos consumidos pelos brasileiros: 36% das amostras de alimentos 2011 e 29% das amostras de 2012 apresentaram concentração de agrotóxico acima do permitido ou o uso de substâncias proibidas para o cultivo daquela cultura.

Cerca de 30% das amostras insatisfatórias se referem a agrotóxicos que estão sendo reavaliados pela Anvisa. Foi também detectada a presença de, pelo menos, 2 agrotóxicos que nunca foram registrados no Brasil: o azaconazol e o tebufempirade, descobertas na uva. Para a Anvisa, isto sugere que os produtos podem ter entrado no Brasil por contrabando.

Ao todo, foram avaliadas 3.293 amostras de 13 produtos nos dois anos. Em 2011 foram analisados as amostras de alface, arroz, cenoura, feijão, mamão, pepino, pimentão, tomate e uva e em 2012 as amostras de abacaxi, arroz, cenoura, laranja, maça, morango e pepino. A escolha dos alimentos baseou-se nos dados de consumo obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Programa PARA é desenvolvido em conjunto com as vigilâncias sanitárias dos estados e municípios participantes e estes realizam os procedimentos de coleta dos alimentos nos supermercados e de envio aos laboratórios para análise.

 

 

Saiba Mais
Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) – Relatório de atividade 2011 e 2012

Leia Também
Tudo o que você não queria saber sobre alface e tomate
Como andam os agrotóxicos no Brasil
Relatório sobre agrotóxicos no Brasil confirma riscos

 

 

 

Leia também

Reportagens
13 de maio de 2022

Os Akroá-Gamella resistem e lutam por reconhecimento

Desde 2014, os gamella aguardam demarcação de suas terras e sofrem ataques violentos de fazendeiros da região, irritados pelo processo de retomada deste povo

Salada Verde
13 de maio de 2022

Advogado assume chefia da Superintendência do Ibama no Amapá

Ministro do Meio Ambiente nomeia advogado sem experiência na área ambiental para chefiar Ibama no Amapá. Superintendência estava sem chefe desde novembro

Notícias
13 de maio de 2022

Carlos Nobre é segundo brasileiro a ser eleito para Royal Society depois de Dom Pedro II

Cientista ingressa como Membro Estrangeiro por seu trabalho ligado aos estudos climáticos na Amazônia. Ele fará parte de rol que conta com nomes como Albert Einstein e Isaac Newton

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta