Notícias

Câmara aprova acordo com a França para combater garimpo ilegal

Plenário concordou com proposta que combaterá a mineração irregular em uma faixa de 150 km entre a fronteira de Brasil e Guiana Francesa.

Redação ((o))eco ·
18 de dezembro de 2013 · 9 anos atrás

 

Crédito: Elias Rovielo
Crédito: Elias Rovielo

A Câmara dos Deputados ratificou o acordo assinado em 2008 entre Brasil e França que combaterá o garimpo ilegal numa faixa de 150 km nos dois lados da fronteira com a Guiana Francesa. O acordo sofreu pressão da bancada do Amapá na Câmara e ficou parado por 5 anos. Aprovado em votação simbólica na última quinta-feira (12), a matéria segue para ser analisado no Senado.

O deputado federal Sebastião Bala Rocha (Solidariedade-Amapá)  foi um dos que lutou pela manutenção do acordo na gaveta. O parlamentar considera que o acordo prejudica o setor de garimpos no seu estado e coloca as empresas na ilegalidade.  

Pelo acordo, haverá confisco e destruição de bens utilizados na extração ilegal de ouro, as atividades de pesquisa e lavra serão controladas e as empresas que fazem venda e revenda de ouro na região serão obrigadas à manter um registro das transações. Em caso de descumprimento, os dois países se comprometem a aplicar sanções de acordo com as legislações nacionais.

Assinado em dezembro de 2008, o acordo já foi ratificado pelo Parlamento da França e espera a aprovação do Congresso Brasileiro para entrar em vigor. A aprovação da Câmara se deu por ocasião da visita oficial do presidente da França, François Hollande, ao Brasil este mês.
 

 

Leia Também
Guiana Francesa: mercúrio põe em risco rios e saúde humana
Guiana Francesa sofre com mineração ilegal de ouro
Notícias do Oiapoque

 

 

 

Leia também

Notícias
15 de agosto de 2022

Licença de operação de termelétricas na Baía de Sepetiba é suspensa pelo Inea

É o segundo revés sofrido pelo empreendimento energético em uma semana. Na terça-feira, a Aneel revogou a outorga de autorização ao projeto por descumprimento de prazos

Notícias
15 de agosto de 2022

Bolsonarismo resiste na Amazônia, mas eleitores se dividem no voto a voto

É apenas na região Norte que Jair Bolsonaro lidera na pesquisa espontânea. Na estimulada, quando os eleitores são apresentados aos nomes dos concorrentes, Lula aparece em primeiro lugar, porém ambos empatam tecnicamente

Reportagens
15 de agosto de 2022

Governadores da nova fronteira do desmatamento buscam reeleição

A criação de uma zona do agronegócio na divisa do Acre, Amazonas e Rondônia (ainda) não avançou, mas a devastação da floresta disparou. Mas nada disso parece mudar a vontade do eleitorado da região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta