Notícias

Estudo revela repertório vocal das ariranhas

Ela é a maior espécie de lontra do mundo e também, segundo biólogas da Alemanha, a que possui organização social mais complexa.

Vandré Fonseca ·
12 de novembro de 2014 · 7 anos atrás

Ariranhas adultas podem ter um repertório com 22 tipos distintos de vocalizações. Foto:
Ariranhas adultas podem ter um repertório com 22 tipos distintos de vocalizações. Foto:

Manaus, AM — Ariranhas adultas (Pteronura brasiliensis) podem ter um repertório com 22 tipos distintos de vocalizações, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira (12) no jornal científico de acesso livre PLOS One. O estudo, assinado pelas biólogas Christina Mumm e Mirjam Knörnschild, da Universidade de Ulm, na Alemanha, demonstrou também que recém-nascidos são capazes de emitir 11 tipos diferentes de sons.

A espécie é a maior da subfamília das lontras, mamíferos aquáticos carnívoros com pernas curtas e corpos alongados que podem chegar a 1,80 metro de comprimento, se o cálculo incluir a longa cauda achatada que representa pouco mais de um terço do tamanho total do animal. Os machos são maiores do que as fêmeas. É um animal exclusivo da América do Sul e vive em grupos de até dez indivíduos, formados por um casal e seus descendentes. É considerada “Em Perigo” de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

As pesquisadoras da universidade alemã estudaram a relação entre as vocalizações e a organização social das ariranhas. Elas registraram sons emitidos pelos animais em vida livre no Peru, entre 12 de setembro e 8 de dezembro de 2011. Utilizaram também gravações feitas com animais em cativeiro. De acordo com o resultado, as ariranhas possuem o maior repertório de vocalizações entre as lontras e também a organização social mais complexa.

Os diferentes tipos de sons foram classificados de acordo com a estrutura acústica e relacionados a quatro contextos distintos, coesão (inclusive contato e coordenação do grupo), alarmes e ameaças, início de vocalizações e outros comportamentos como acasalamento e cuidados dos filhotes. O estudo apresenta também a primeira descrição de vocalizações de recém-nascidos, balbucios emitidos pelos filhotes enquanto aprendem o repertório vocal completo.

“O exame do contexto comportamental revelou que as ariranhas produzem vocalizações similares estruturalmente em várias situações, tanto quanto usam diferentes vocalizações em contextos aparentemente similares”, escreveram as biólogas no artigo.

Assista o vídeo produzido pelas pesquisadoras, com exemplos de vocalizações da ariranhas em diferentes padrões de comportamento.

 

 

Saiba Mais
Mumm CAS, Knörnschild M (2014). The Vocal Repertoire of Adult and Neonate Giant Otters (Pteronura brasiliensis). PLoS ONE 9(11): e112562. doi:10.1371/journal.pone.0112562

Leia Também
Ariranhas descansam no Rio Roosevelt
“Vamos tomar sol”, diz a tartaruga
Ipupiara, Negro D’Água e Jaguaruçu, monstros das lendas coloniais

 

 

 

Leia também

Notícias
22 de outubro de 2021

“Adote um ninho”: Conheça a campanha para a preservação dos papagaios brasileiros

Campanha busca incentivar a proteção dos papagaios por meio da construção de ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais, que estão diminuindo por conta do desmatamento

Análises
22 de outubro de 2021

Por uma nova onda de soluções para a resiliência e a saúde do oceano

Estudo do FMI estima que 8 milhões de toneladas de lixo plástico acabam no mar todos os anos, sendo 80% provenientes do continente. Se não mudarmos esse quadro, o oceano terá mais lixo do que peixes até 2050

Salada Verde
21 de outubro de 2021

Polícia Civil do Maranhão prende um dos homens que matou onça preta e se gabou nas redes sociais

Corpo do animal abatido foi filmado por três homens, que comemoraram o feito. O homem preso também será multado pelo Ibama.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. MARLI ALVES PEREIRA VASCONCELLOS diz:

    Não entendo o porquê esconder o rosto do homem, adulto!! Ele mostrou a cara nas redes sociais!! É preciso identificar criminosos.