Notícias

Desmatamento no Amazonas triplica entre março e abril e chega a 347 km²

Nova fronteira do desmatamento, estado tem registrado em 2022 os piores números da série do INPE. Só no último mês, área perdida foi equivalente à cidade de Belo Horizonte

Cristiane Prizibisczki ·
6 de maio de 2022 · 2 anos atrás

A motosserra não tem tido folga no sul do Amazonas. O estado perdeu em abril, época ainda de chuvas na floresta tropical, uma área de 347 km². O número é equivalente ao território da cidade de Belo Horizonte e três vezes maior do que o registrado em março, quando foram perdidos 106 km² de vegetação.

De fato, o programa Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais, tem mostrado que, em 2022, a destruição na nova fronteira do desmatamento acumula um recorde atrás do outro.

Em janeiro, o Amazonas perdeu 44 km² de florestas, número sete vezes maior do que o mesmo período em 2021, quando foram registrados 5,86 km² de desmatamento. Em fevereiro, foram 40,49 km² sob alerta, um aumento de 58% em relação ao mesmo período do ano anterior (25,81 km²). Em março, um novo recorde: 106 km² de desmatamento, número 72% maior que o mesmo período de 2021, quando foram gerados alertas para 61,41 km² no estado.

Novamente em abril, o Amazonas foi o estado que mais registrou avisos de desmatamento, ultrapassando Pará e Mato Grosso, que, historicamente, sempre ocupavam as primeiras posições do ranking de desmatadores.

Segundo a Sala de Situação da Amazônia (AMS), também do INPE, em abril de 2022 o desmatamento no Amazonas foi concentrado em Áreas Indefinidas, com 40,9% do total, seguido por Assentamentos Rurais, com 33,33%, áreas com Cadastro Ambiental Rural, com 23,3%, e Unidades de Conservação, com 2,29%.

Outros estados

Em todo o bioma, os alertas de desmatamento do sistema Deter chegaram a surpreendentes 1.012 km², área do tamanho da cidade de Belém.

Depois do Amazonas, o Pará ficou na segunda posição do ranking, com 287 km² de desmatamento, número seis vezes maior do que o mês anterior, quando foram detectados 45 km² de desmatamento.

O terceiro lugar do ranking foi para o Mato Grosso, que registrou 242 km² de desmatamento em abril, número 124% maior do que o mês anterior.

Em seguida, vem Rondônia, com 108 km² de área sob alerta, seguido por Roraima, com 16,7 km², Acre e Maranhão, ambos com 6 km² e Tocantins, com 1 km² sob alerta de desmatamento. Não foram registrados alertas no Amapá.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
22 de julho de 2024

Paul Watson, fundador do Greenpeace e protetor de baleias, é preso na Groenlândia

Ambientalista foi detido por agentes da polícia federal da Dinamarca, em cumprimento a mandado de prisão do Japão; ele partia da Irlanda para confrontar navio baleeiro japonês

Salada Verde
22 de julho de 2024

Encontro de alto nível sobre ação climática reúne ministros e líderes de 30 nações

8ª Conferência Ministerial sobre Ação Climática (MoCA), realizada este ano na China, tem objetivo de destravar discussões que ficaram emperradas em Bonn

Notícias
22 de julho de 2024

Ministério Público investiga esquema de propina em órgão ambiental da Bahia

Servidores, ex-funcionários e outros investigados teriam recebido até R$ 16,5 milhões de fazendeiros para facilitar concessão de licenças ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.