Notícias

Fundador do Endireita Brasil, Ricardo Salles é o novo ministro do Meio Ambiente

Presidente eleito bateu o martelo neste domingo (09). Escolhido é ex-secretário de Meio Ambiente de São Paulo e responde a processo por improbidade administrativa

Daniele Bragança ·
9 de dezembro de 2018 · 3 anos atrás
Presidente eleito finalmente decidiu quem comandará o novo ministério do Meio Ambiente. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Após ameaçar fundir com o ministério da Agricultura, voltar atrás, voltar atrás sobre a volta atrás e, por fim, decidir manter o ministério do Meio Ambiente (MMA) separado, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou neste domingo (09/12) o nome do advogado Ricardo Salles que comandará a pasta ambiental a partir de janeiro. O anúncio foi feito pelo Twitter.

Fundador do movimento Endireita Brasil e ex-diretor jurídico da Sociedade Rural Brasileira (SRB), o novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é um nome conhecido do ambientalismo paulista: comandou a secretaria de Meio Ambiente entre 2016 e 2017, onde colecionou polêmicas e um processo por improbabilidade administrativa.

Secretário de Meio Ambiente de São Paulo, durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB), Salles frequentemente foi acusado de atropelar pareceres técnicos. Um deles foi a alteração do zoneamento da proposta de plano de manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê, o que o levou a ser processado pelo Ministério Público Estadual. Salles ainda é réu no processo.

Última escolha

Desde o anúncio de que Tereza Cristina assumiria o ministério da Agricultura, há um mês, se aguardava a escolha do comando do novo ministério do Meio Ambiente. Bolsonaro deixou claro que a escolha passaria pelo crivo dos ruralistas. Todos os nomes que estavam sendo cotados têm boa reputação entre os ruralistas.

Na quarta-feira (05), o presidente eleito disse aos jornalistas que estava difícil a escolha do novo ministro. “Temos bons nomes, mas estamos procurando aquele que melhor se adapte àquilo que eu quero, ou seja, a preservação do meio ambiente sem prejudicar outras atividades”, afirmou.

A escolha de Salles para o ministério do Meio Ambiente encerra a composição da equipe de ministros que irão assumir, junto com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019.

 

Leia Também 

Bolsonaro admite ser difícil escolher novo ministro do Meio Ambiente

Líder da bancada ruralista será a ministra da Agricultura de Bolsonaro

Maitê Proença e Xico Graziano: conheça os cotados para assumir o MMA

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
12 de novembro de 2018

Maitê Proença e Xico Graziano: conheça os cotados para assumir o MMA

Evaristo Miranda, Paulo Bessa e Evandro Gussi também estão no páreo para assumir a pasta, que seguirá separada do ministério da Agricultura

Notícias
7 de novembro de 2018

Líder da bancada ruralista será a ministra da Agricultura de Bolsonaro

Presidente eleito anunciou o nome da deputada Tereza Cristina (DEM-MS) para presidir a pasta, que não será fundida com o Ministério do Meio Ambiente

Notícias
5 de dezembro de 2018

Bolsonaro admite ser difícil escolher novo ministro do Meio Ambiente

“Estamos procurando aquele que melhor se adapte àquilo que eu quero”, afirma Bolsonaro, sobre indefinição quanto ao ocupante da pasta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 7

  1. José diz:

    por supuesto, diversão é o que resta nesse fim-dos-tempos-zumbi.


  2. José Luiz de Sanctis diz:

    A gritaria dos eco-esquerdistas mostra que o Presidente Bolsonaro acertou em cheio na escolha. A partir de janeiro o MMA vai começar a trabalhar em prol do Brasil e não mais da concorrência internacional. Só lembrando aos "ecologeiros" que o Brasil possui mais área preservada do que determina a lei e muito mais do que qualquer país metido a salvador do planeta, aqueles que querem fazendas lá e florestas aqui. Nós temos os dois, fazendas e florestas, graças aos produtores rurais. Consultem a Embrapa Territorial.


    1. Cético climático diz:

      Claro que um ruralista processado por mudar ilegalmente mapa de APA para favorecer a FIESP é uma grande escolha… pro agronegócio.


  3. Carlos Magalhães diz:

    Ontem mesmo o Greenpeace já se manifestou contra a indicação do novo Ministro. E vai começar o mimimi e chororô geral.

    O fato das ONGs, do Greenpeace, ambientaleiros, climatistas, eco-xiitas, ongueiros e engajadinhos em geral estarem em cólicas e com urticária, só prova que, mais uma vez, o presidente eleito Jair Bolsonaro acertou em cheio na escolha do excelente quadro para o MMA.

    Que o Dr. Salles ajude, com o resto da equipe do futuro presidente, a RESGATAR definitivamente este país para o cidadão prestante, para o homem de bem, e para o verdadeiro patriota brasileiro.


  4. Marcelo Monteiro diz:

    O futuro ministro deve achar que a gente é idiota quando diz que vai preservar o ambiente sem ideologia. Vai ser obviamente com a ideologia deles.


  5. José diz:

    Fraude, improbidade… bom perfil. O povo pediu, Bozo tá entregando. Parabéns aos envolvidos.


  6. Jussara diz: