Reportagens

Desmatamentos e queimadas crescem na Amazônia boliviana

Impulsionada pela ocupação agropecuária beneficiada pela construção de novas estradas que cortam a floresta, a destruição da Amazônia na Bolívia alcança 1,6% do território em 10 anos

Giovanny Vera ·
4 de dezembro de 2012 · 9 anos atrás

*Este artigo faz parte do especial de lançamento do atlas “Amazônia sob Pressão”. Clique aqui para saber mais

Mapa Desmatamento em 50 km de influencia da estrada Interoceânica.Crédito: Herencia

De acordo com Herencia, desde 1985 até 2000 nesta zona foram desmatados 83.607 ha e nos seguintes 10 anos quase 118 mil ha. Até o ano 2002, a taxa anual era de 2,7%, e entre 2001 e 2005 pulou para 4,6%. Levando em conta a construção do trecho Iñapari-Puerto Maldonado, que foi terminado em 2010, a taxa de desmatamento suba até 7,2% durante o quinquênio 2006-2011, afirma o diretor da ONG. A nova estrada promoveu o corte ilegal de madeira e seu contrabando ao Peru. Tanto que em 2008, Julio Garcia, prefeito do povoado peruano Alerta, foi assassinado quando tentou apreender um caminhão carregado de madeira ilegal que vinha da Bolívia.

Leia também:
10 anos de incêndios e queimadas na Bolívia
Bolívia transforma parque na Amazônia em zona petrolífera

  • Giovanny Vera

    Giovanny Vera é apaixonado pela área socioambiental. Especializado em geojornalismo e jornalismo de dados, relata sobre a Pan-Amazônia.

Leia também

Análises
24 de janeiro de 2022

O legado de Thomas Lovejoy para a ecologia brasileira

Falecido em dezembro, Lovejoy concebeu o que viria a ser o mais duradouro experimento ecológico realizado até hoje em florestas tropicais

Notícias
24 de janeiro de 2022

Lewandowski suspende decreto que tirou proteção das cavernas de máxima importância

Decisão do ministro do STF acata parcialmente pedido de medida cautelar protocolado pela Rede e pelo Partido Verde, que apontam inconstitucionalidade do decreto presidencial que removeu proteção das cavernas

Notícias
24 de janeiro de 2022

Satélites apontam garimpo como responsável pela mudança da cor da água do rio Tapajós

Análise de imagens de satélite feita pelo MapBiomas aponta evidências de que a coloração diferente nas águas do rio paraense é resultado da explosão do garimpo na região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta