Salada Verde

Brasil, ambiente e cultura

Livro usa espécies representativas de regiões brasileiras para associar preservação da fauna e de costumes.

Salada Verde ·
22 de dezembro de 2009 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Trabalhando pela preservação da fauna desde
1993, a não-governamental Arca Brasil, com apoio da Lei de Incentivo à Cultura e patrocínio do laboratório Intervet Schering-Ploug, acaba de lançar um livro onde 15 animais representativos das cinco regiões do país se transformam em instrumentos de proteção ambiental e cultural. 

Arca Brasileira – Uma viagem pelo Brasil e seus animais contou com as mãos de biólogos, veterinários, jornalistas e escritores, intercalando fotos, contos e poemas redigidos por escritores consagrados como João Cabral de Melo Neto, Ruy Castro, Machado de Assis, Luis Fernando Veríssimo e Monteiro Lobato. Além disso, traz informações sobre a condição de espécies como boto, pirarucu, cabra, peixe-boi, gralha azul e baleia-franca, e sobre projetos bem-sucedidos de preservação ou proteção, em todo o Brasil.

“O caso da Tartaruga-do-Amazonas é o mais representativo dessa nova visão de preservação. O hábito do consumo da carne e dos ovos deste animal é tão arraigado no povo amazonense que quase levou a extinção da espécie. Baseados em estudos do Ibama, a criação comercial se tornou um alternativa tanto para dar emprego aos ribeirinhos, como para preservar a tartaruga, já que o órgão obriga a devolução de individuos adultos para os rios. Com isso houve uma rápida recuperação dos estoques populacionais”, destacou o veterinário Ricardo Oliveira, coordenador editorial do projeto.

Segundo Marco Ciampi, presidente da Arca, a “missão” do livro é mostrar que a alma e a identidade do brasileiro também residem no ambiente que o cerca. Seu desejo é de que a publicação faça com que “os leitores captem essa grandeza e exuberância (da flora e fauna), mas também o sentimento profundo de saber que essa identidade, essa natureza, é parte de nós. E protegê-la será, então, mais que um trabalho, será um dever”.

Em parceria com uma livraria virtual, está no ar um hotsite para que leitores possam conhecer a obra antes da compra, “folheando” parte de seu conteúdo. Basta clicar aqui.

Leia também

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Notícias
1 de dezembro de 2021

Amazônia acumula 73 mil focos de incêndio em 2021, segundo dados do INPE

Há menos de uma semana, Bolsonaro voltou a afirmar que “floresta úmida não pega fogo”. Número de queimadas no Pampa segue em alta

Notícias
1 de dezembro de 2021

Audiência Pública discute projeto de lei que quer municipalizar áreas de preservação em Angra dos Reis

Projeto que altera gestão da APA Tamoios é da deputada Célia Jordão, esposa do prefeito de Angra. Cerca de 40 organizações se manifestaram contrárias ao PL

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Treep diz:

    Vejo como de extrema importância a preservação dessas areas,
    o turismo agradece e deve ser feito de forma consciente.
    Não sei o que é melhor, mas com o governo atual, municipalizar talvez não seja tão ruim , desde que seja com leis próprias que garantam manter preservado e fiscalizado.