Salada Verde

Galápagos sai da lista de patrimônio ameaçado.

Apesar de recomendações contrárias, o arquipélago equatoriano é retirado da lista de áreas ameaçadas. Para IUCN, situação permanece crítica.

Redação ((o))eco ·
29 de julho de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

 
Foto de vista nas Ilhas de Galápagos (fonte: IUCN)

O Comitê de Patrimônio Mundial da Humanidade decidiu remover as Ilhas de Galápagos, no Equador, da lista mundial do patrimônio ameaçado, mesmo contra as recomendações contrárias da IUCN (International Union for Conservation of Nature).

A IUCN, uma das maiores organizações ambientais do mundo, embora reconheça esforços do governo equatoriano para retificar os maiores problemas que ameaçam Galápagos, acredita que essa é uma decisão prematura e que espécies invasoras, turismo e pesca predatória ainda são fatores relevantes para a situação crítica das ilhas. O Comitê, por sua vez crê que progresso significativo já ocorreu para minimizar essas questões no Equador.

As ilhas de Galápagos, inscritas na lista de Perigo em 2007, são consideradas um “museu vivo da evolução” e, segundo Tim Badman, chefe do Programa de Patrimônio Mundial da IUCN, “as recomendações da IUCN para as ilhas de Galápagos são de que ela não deve sair da lista de Perigo pois ainda existe trabalho a ser feito.“ 

A IUCN diz que permanecerá com seu trabalho junto ao governo equatoriano para que as recomendações do Cômite do Patrimônio Mundial da Humanidade sejam cumpridas, mantendo seu compromisso com as questões ainda mal solucionadas que ameaçam o importante patrimônio natural. (Laura Alves)

Para mais informações: www.iucn.org

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta