Salada Verde

Grande Sertão Veredas: 826 hectares desapropriados

ICMBio dá continuidade ao processo de regularização fundiária nas unidades de conservação federais e adquire Fazenda Trijunção, na Bahia. 

Redação ((o))eco ·
21 de dezembro de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

 

Parque Nacional Grande Sertão Veredas protege o Cerrado na divisa entre Minas Gerais e Bahia (fonte: ICMBio)
Parque Nacional Grande Sertão Veredas protege o Cerrado na divisa entre Minas Gerais e Bahia (fonte: ICMBio)
Brasília – Na semana passada, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) deu continuidade ao processo de regularização fundiária das unidades de conservação federais. Além do Parque Nacional do Itatiaia, o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, que fica na divisa dos estados de Minas Gerais e Bahia, teve desapropriados mais 825,9 hectares. O presidente do instituto, Rômulo Mello, assinou, na quinta-feira passada, a escritura pública de desapropriação administrativa da Fazenda Trijunção, situada no município de Cocos-BA.

 Rômulo Mello, presidente do ICMBio (terno marrom), e Theodoro de Hungria Machado, proprietário da fazenda (camisa azul) assinam o documento de desapropriação.   Em pé: Nudmir Kornyjezuk, da Coordenação de Regularização Fundiária do ICMBio e  funcionário do cartório. (foto: Flávio Martins)
Rômulo Mello, presidente do ICMBio (terno marrom), e Theodoro de Hungria Machado, proprietário da fazenda (camisa azul) assinam o documento de desapropriação. Em pé: Nudmir Kornyjezuk, da Coordenação de Regularização Fundiária do ICMBio e funcionário do cartório. (foto: Flávio Martins)

A fazenda encontra-se nos limites do Parque Nacional, que tem uma área total de 231.307 hectares. A desapropriação foi realizada com o consenso do proprietário, Theodoro de Hungria Machado, que recebeu R$1 milhão 180 mil pela área. De acordo com Waldemar Pires Dantas, da Coordenação Geral de Regularização Fundiária do ICMBio, Trijunção é área contínua a quatro outras fazendas, de propriedade de Roberto Marinho, que estão sendo doadas para o Parque. As cinco áreas juntas totalizam 15 mil hectares.

O coordenador afirmou que neste ano foram regularizadas duas propriedades e indenizados 16 posseiros só no Grande Sertão Veredas. Segundo ele, ainda há outras áreas a serem desapropriadas, mas falta aporte de recursos.

A desapropriação de imóveis rurais situados no interior de unidades de conservação está prevista na Lei que estabelece o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), uma vez que sejam declaradas de interesse público, tendo em vista a conservação dos bens naturais.

Os recursos para compra dos imóveis provêm do Orçamento Geral da União e, segundo Waldemar Pires, a estimativa para o ano que vem é de R$ 60 milhões destinados à continuidade da regularização.(Nathalia Clark)

Explore o Parque Nacional Grande Sertão Veredas

Visualizar Grande Sertão Veredas em um mapa maior

Leia também

Análises
29 de novembro de 2021

Compatibilizar o incompatível é solução pra quê?

Querem mudar a Lei do SNUC através de um instrumento obtuso sem suporte científico, que ignora tudo que a legislação estabelece no que concerne à proteção da nossa biodiversidade

Salada Verde
29 de novembro de 2021

ICMBio abre concurso para 171 vagas

Edital publicado nesta segunda-feira (29) oficializa o concurso para servidores do órgão ambiental, com 61 vagas para analistas e 110 de técnicos

Notícias
29 de novembro de 2021

Conama volta a debater proposta que restringe cadastro de entidades ambientalistas

As alterações propostas aumentam a burocracia e diminuem a ampla participação das entidades ambientalistas no Conama. Organizações socioambientais pedem pela rejeição do projeto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta