Salada Verde

Filhotes de tartaruga na Paraíba

Com ajuda de organização não-governamental, noventa rebentos de tartarugas-de-pente nasceram no domingo de Carnaval na praia de Intermares.

Redação ((o))eco ·
8 de março de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
A corrida pela vida: filhotes a caminho do mar (foto Ibama/divulgação)
A corrida pela vida: filhotes a caminho do mar (foto Ibama/divulgação)
Noventa tartarugas-de-pente (Eretmochelys imbricata) nasceram na praia de Intermares, no Município de Cabedelo – PB, nesse domingo de carnaval, dia 6.

O nascimento foi acompanhado pela ONG Associação Guajiru  - que desenvolve projetos pela conservação das tartarugas – e pelo superintendência do Ibama na Paraíba.

A tartaruga-de-pente é a espécie mais comum das tartarugas marinhas encontrada nos pontos de desova nas praias da Paraíba. Chega a cifra de 90% de ninhos, pode medir até 1,10 metros de casco, pesar 80 quilogramas e viver até 100 anos.

Durante 50 dias ficam incubados na areia os ovos das tartarugas, numa média de 150 ovos no período de desova, que vai de setembro a abril na costa paraibana.


Nesse período de incubação, os integrantes da Associação Guajiru, através do Projeto Tartarugas Urbanas, conduzido pela bióloga Rita Mascarenhas, acompanham e protegem os ninhos, garantindo assim que as tartarugas filhotes cheguem ao Oceano Atlântico.

Rita mascarenhas auxiliando o nascimento das tartarugas (foto: divulgação/Ibama-PB)
Rita mascarenhas auxiliando o nascimento das tartarugas (foto: divulgação/Ibama-PB)

Todo esse cuidado se deve a reprodução lenta desses animais: somente quando completam 30 anos que as tartarugas marinhas entram na idade de reprodução.

De acordo com Rita, na temporada de desova 2010-2011, já foram catalogados 85 ninhos de tartarugas, sendo quatro localizados na praia de Cabo Branco, em João Pessoa, e os demais distribuídos nas praias do Bessa, Manaíra e Intermares. “Só nesta temporada de desova facilitaremos o nascimento de cerca de 10 mil tartarugas”. (Daniele Bragança com informações do IBAMA-PB)

Para saber mais
Adriana e as tartarugas – heroínas anônimas
Tartaruga desavisada põe ovos na praia mais famosa de Recife


Leia também

Notícias
20 de janeiro de 2022

Espécie de jararaca descoberta na Caatinga revela história evolutiva até então desconhecida

A descoberta da espécie B. jabrensis trouxe também uma revelação surpreendente: uma nova linhagem evolutiva, até então desconhecida pela ciência, dentro do gênero jararacas

Notícias
20 de janeiro de 2022

“Essa tese de que vamos abrir a cerca para o gado passar não será predominante no meu governo”, diz Lula

Em entrevista coletiva, pré-candidato do PT à presidência falou em meio ambiente urbano, pesticidas e defendeu o legado de construção de grandes hidrelétricas na Amazônia

Análises
20 de janeiro de 2022

Além do plantio: incluindo pessoas na restauração florestal

Mais importante do que “apenas” plantar árvores, é necessário conciliar a conservação ambiental com produção sustentável através da integração de paisagens e pessoas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Flávia diz:

    Excelente artigo.. bem mais aprofundado do que tenho visto em outros canais que tocam no assunto de restauração. Obrigada, Veronica.