Salada Verde

Transposição com licença vencida

Consulta ao sistema do Ibama revela que licença para obras no São Francisco expirou na semana passada. Ministério da Integração nega.

Redação ((o))eco ·
29 de março de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Celso Calheiros

Uma das maiores obras do governo federal em execução no país está com a licença ambiental de instalação vencida.

A Integração do Rio São Francisco com as bacias do Nordeste setentrional, mais conhecida como transposição do São Francisco, teve a licença de instalação número 438, assinada em 23 de março de 2007, vencida no dia 23, passados os quatro anos desde que foi expedida pelo então presidente do Ibama, Marcus Luiz Barroso Barros.

As obras seguem em ritmo normal, garante a assessoria de comunicação do Ministério da Integração. Com base nos últimos dados do Programa de Aceleramento do Crescimento (PAC), o eixo leste do projeto tem 80% das obras dos canais realizadas. O eixo norte está 52% concluído. No fim do próximo ano, de acordo com o Ministério da Integração, os 287 km do eixo leste estarão em funcionamento. Em 2013, os 426 km do eixo norte entram em operação.

De acordo com informações da assessoria de comunicação do Ministério da Integração, a licença de instalação não está vencida.

No entanto, uma busca virtual na página de licenciamentos do Ibama (Consulta -> Empreendimentos -> Projeto de Integração do Rio São Francisco), tem-se o arquivo em PDF da licença de instalação 438. No último parágrafo, avisa-se que o documento é válido pelo período de quatro anos, a contar da data de sua assinatura: 23 de março de 2007.

O trecho abaixo foi retirado da licença de instalação disponível no Sislic do Ibama:


Veja aqui a licença na íntegra

A renovação da licença, de toda forma, foi solicitada pelo Ministério da Integração, em fevereiro, em pedido assinado pelo secretário de Infraestrutura Hídrica do MI, Augusto Wagner Padilha.

A transposição do São Francisco é um projeto grandioso. Prevê a construção de 27 reservatórios, estações elevatórias, aquedutos, túneis, obras de engenharia pesada por 390 municípios em quatro estados e um objetivo nobre: água para 12 milhões de brasileiros que vivem no semiárido. O projeto passou longe dos cortes no Orçamento da União e a obra recebeu o apoio da presidente da República, Dilma Rousseff, na reunião com os governadores nordestinos no dia 21 de fevereiro.

A licença de instalação é o ponto crítico, até entre defensores da transposição. O Ibama condicionou várias medidas, planos, programas, ações mitigadoras e compensatórias, organizados em 32 Projetos Básicos Ambientais (PBAs). Aguarda-se, agora, a atitude do Ibama com relação às solicitações condicionadas, agora que a renovação da licença está na pauta.

Leia também
Transposição do São Francisco na agenda de Dilma 

Leia também

Reportagens
27 de maio de 2022

Um caminho (e um sonho) para unir a América

A construção de uma trilha pan-americana que conecte caminhos do Alasca à Patagônia parece um sonho distante, mas já há sonhadores dispostos a montar esse quebra-cabeça

Notícias
27 de maio de 2022

São Paulo registra duas décadas de poluição do ar acima do recomendado pela OMS

Em alguns pontos da cidade, concentração de poluentes foi quatro vezes maior do que o indicado, mostra estudo. Poluição mata 7 milhões de pessoas por ano no mundo

Notícias
26 de maio de 2022

Conexão de trilhas e pessoas embala 1º Congresso Brasileiro de Trilhas

Evento que começou nesta quarta (25) e se estende até domingo, em Goiânia, conta com mais de 1.500 inscritos para discutir e fomentar a implementação de trilhas no Brasil

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta