Salada Verde

Teles Pires: Justiça Federal anula o estudo de impacto ambiental

Um tribunal federal paralisou a obra porque ela não tem a necessária aprovação do Congresso para ser construída em terras indígenas

Redação ((o))eco ·
14 de agosto de 2012 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Obras na estrutura da ponte da usina hidrelétrica Teles Pires, no Mato Grosso. Foto: Divulgação/PAC

A Justiça Federal anulou o estudo de impacto ambiental da Usina de Teles Pires. A decisão, tomada ontem (13) pela 5.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, paralisa a obra, sob o argumento de que lhe falta a essencial autorização do Congresso Nacional para funcionar em terras indígenas. Sem ela, a Justiça entende que a construção é inconstitucional.

O desembargador federal Souza Prudente negou recurso proposto pela Companhia Hidrelétrica Teles Pires S/A e manteve a paralização da obra, sob pena de multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

De acordo com a Justiça, o estudo de impacto ambiental é “totalmente viciado e nulo de pleno direito, por agredir os princípios constitucionais de ordem pública, da impessoalidade e da moralidade ambiental.”

No voto, o desembargador Prudente frisou o que diz a Constituição Federal: “o aproveitamento dos recursos hídricos, incluídos os potenciais energéticos, a pesquisa e a lavra das riquezas minerais em terras indígenas só podem ser efetivados com autorização do Congresso Nacional, ouvidas as comunidades afetadas, ficando-lhes assegurada participação nos resultados da lavra, na forma da lei”.

A Companhia Hidrelétrica Teles Pires S/A que teve seu relatório de impacto ambiental (EIA/RIMA) elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME) sustenta que todas as audiências públicas foram realizadas dentro da lei e gravadas.

A ação civil pública que tenta suspender o licenciamento da obra de construção da Usina Hidrelétrica de Teles Pires foi proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Ministério Público do Estado do Mato Grosso (MPE/MT).

A Teles Pires está sendo construída na fronteira do Mato Grosso com o Pará, na bacia do Rio Teles. Adicionará 1.820 megawatts, suficiente para abastecer uma população de 2,7 milhões de famílias, de acordo com o site oficial da hidrelétrica. Ainda segundo o site, o lago do reservatório ocupará áreas dos municípios de Jacareacanga (Pará) e Paranaíta (Mato Grosso), sendo que o primeiro terá 16% do reservatório em seu território e o segundo 84%.

 

Leia também

Notícias
26 de janeiro de 2022

Cientistas desmontam “falsas controvérsias” de guru ambiental de Bolsonaro

Doze dos principais cientistas ambientais do país acusam Miranda de usar credenciais da Embrapa para disseminar desinformação

Notícias
26 de janeiro de 2022

Pesquisadores reencontram anfíbio raro que não era visto desde 1970

A redescoberta da espécie, Phrynomedusa appendiculata, uma pequena perereca que ocorre apenas na Mata Atlântica, permitiu o levantamento de novos dados sobre o animal

Notícias
25 de janeiro de 2022

Bolsonaro corta 35 milhões do orçamento do Ministério do Meio Ambiente para 2022

Veto do presidente ao orçamento aprovado pelo Congresso reduziu principalmente a verba prevista para prevenção e combate de incêndios, que sofreram corte de 17 milhões

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta