Salada Verde

Ibama nega licença ambiental para exploração de petróleo na foz do Amazonas

Órgão federal não permite que a petroleira francesa Total E&P realize a exploração de petróleo na região, por pendências não cumpridas

Sabrina Rodrigues ·
29 de agosto de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O Ibama negou licença ambiental para a petroleira francesa Total E&P para a exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas. A região abriga os recifes de coral, descoberto no ano passado. Foto: ©Greenpeace.
O Ibama negou licença ambiental para a petroleira francesa Total E&P para a exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas. A região abriga os recifes de coral, descoberto no ano passado. Foto: ©Greenpeace.

 

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) negou licença ambiental para a petroleira francesa Total E&P para a exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas. A região abriga o ecossistema que ficou conhecido como “os corais da Amazônia”, que se estendem entre a costa do Amapá, passando pela costa do Maranhão até a Guiana Francesa.

Muitos são os motivos para a negativa da concessão da licença. Em parecer, a presidente do Ibama, Suely Araújo, listou dez pendências não cumpridas pela empresa francesa, entre elas, esclarecimentos sobre a modelagem de dispersão de óleo em caso de vazamento e um projeto de monitoramento adequado. O órgão federal acrescenta que a ausência dos elementos destacados na lista é impedimento para que a licença seja concedida.

No dia 14 deste mês, ativistas do Greenpeace fizeram uma manifestação em frente ao prédio do Ibama do Rio de Janeiro para pressionar o órgão a resistir à pressão de empresas que querem explorar petróleo próximo ao ecossistema da foz do Amazonas.

O Ibama é o órgão responsável pela concessão ou não de licença ambiental que autorizará as petrolíferas Total e BP a perfurar a região. Suely Araújo afirma que é terceira e última vez que o Ibama solicita informações complementares sobre o impacto ambiental: “Caso o empreendedor não atenda os pontos demandados pela equipe técnica mais uma vez, o processo de licenciamento será arquivado”, afirmou a presidente do Ibama.

A descoberta de recifes de corais na foz do Amazonas, embora já conhecida por cientistas desde a década de 1970, foi registrada na edição de 18 de abril de 2016, da revista científica Science, por uma equipe de pesquisadores brasileiros e americanos. O recife de Corais da Amazônia é um corredor de biodiversidade entre a costa norte do Brasil e a Guiana Francesa.

Leia Também

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

Greenpeace realiza ação em frente ao Ibama do Rio

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
25 de abril de 2016

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

Uma equipe de brasileiros e americanos encontra na foz do rio Amazonas corais que se estendem por cerca de mil quilômetros, do Maranhão a Guiana Francesa

Salada Verde
14 de agosto de 2017

Greenpeace realiza ação em frente ao Ibama do Rio

Ativistas pedem para que órgão ambiental negue licença para explorar petróleo na região dos corais da Amazônia

Notícias
30 de janeiro de 2017

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

A descoberta do recife de 9.500 km² de extensão localizada na costa do Amapá surpreendeu os cientistas por tamanha riqueza. Mas, as companhias de petróleo planejam perfurar a área

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. AAI diz:

    Com o atual loteamento total dos cargos de chefias no IBAMA e ICMBio para políticos, sem qualquer vínculo com estas instituições, já já os responsáveis serão afastados e essa licença sai, contrariando pareceres técnicos!!!
    A Coordenadora da Cr8 do ICMBio (RJ, parte de SP e MG) já está sendo afastada para isso! Liberar licenças ambientais de empreendimentos que afetam as UCs da região!!!
    Tomara que a mídia fique em cima!