Salada Verde

Greenpeace realiza ação em frente ao Ibama do Rio

Ativistas pedem para que órgão ambiental negue licença para explorar petróleo na região dos corais da Amazônia

Sabrina Rodrigues ·
14 de agosto de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Manifestantes em frente ao prédio do Ibama no Rio de Janeiro. Foto: ©Greenpeace
Manifestantes em frente ao prédio do Ibama no Rio de Janeiro. Foto: ©Greenpeace

Com banners e placas estrategicamente posicionados, ativistas do Greenpeace realizaram uma manifestação, na manhã desta segunda-feira (14), em frente ao prédio do Ibama do Rio de Janeiro. A ação foi em prol dos Corais da Amazônia, um bioma marinho descoberto no ano passado. Os ativistas querem que o Ibama resista à pressão de empresas que almejam explorar petróleo próximo ao recife da foz do Amazonas.

Na manifestação, o professor Carlos Eduardo Leite Ferreira, doutor em Biologia Marinha da Universidade Federal Fluminense (UFF), entregou ao representante da área de Óleo e Gás do Ibama, Ivan Werneck, a Carta Aberta em Defesa dos Corais da Amazônia, assinada por renomados cientistas do mundo todo, como a oceanógrafa americana Sylvia Earle, o economista indiano da biodiversidade Pavan Sukhdev, além dos climatologistas brasileiros Carlos Nobre e Paulo Artaxo.

O Ibama é o órgão responsável pela concessão ou não de licença ambiental que autorizará as petrolíferas Total e BP a perfurar a região.“Os Estudos de Impacto Ambiental das empresas são repletos de falhas e inconsistências e admitem a probabilidade de 30% de um derramamento de óleo atingir o recife. É um risco muito alto. Queremos que o Ibama ouça a Ciência no seu parecer técnico e negue a licença ambiental”, afirma Helena Spiritus, bióloga do Greenpeace.

Carlos Eduardo ressalta a importância da preservação do Corais. “O recife de Corais da Amazônia, além de ser um corredor de biodiversidade entre a costa norte do Brasil e o Caribe, é um refúgio para os corais que se encontram ameaçados pelo aquecimento global por estarem em uma região mais profunda. Ainda conhecemos muito pouco esse ecossistema”, afirma o cientista.

Foto: ©Greenpeace.
Foto: ©Greenpeace.
 Foto: ©Greenpeace.
Foto: ©Greenpeace.
Foto: ©Greenpeace.
Foto: ©Greenpeace.

 

Leia Também

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

75% dos corais ameaçados de extinção

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
21 de março de 2011

75% dos corais ameaçados de extinção

Situação pode se agravar até 2030. Análise global sobre recifes de corais é a maior já realizada e uniu 25 organizações e dezenas de cientistas. 

Notícias
25 de abril de 2016

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

Uma equipe de brasileiros e americanos encontra na foz do rio Amazonas corais que se estendem por cerca de mil quilômetros, do Maranhão a Guiana Francesa

Notícias
30 de janeiro de 2017

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

A descoberta do recife de 9.500 km² de extensão localizada na costa do Amapá surpreendeu os cientistas por tamanha riqueza. Mas, as companhias de petróleo planejam perfurar a área

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. ecoch-atos diz:

    Porque esses povo do Grinpis e outras ONG não faz concurso, passa e daí começam a mandar no Ibama? De FORA palpitar é facil!


  2. Tite fala muito diz:

    Esse na ultima foto…é o Mano Menezes???


  3. Francois diz:

    very good, that "open letter" from Greenpeace with the support of well-known scientists and medias-people. May I suggest that scientists from France be also approached for signing because any oil-accident will bring pollution to the coasts of French Guiana, because of maritime currents !