Salada Verde

Pescadores irão responder por captura ilegal de espécies protegidas

Justiça aceita denúncia contra dois homens que pegaram mais de mil exemplares de peixe raia-viola, um golfinho e uma tartaruga-marinha em área proibida no Rio Grande do Sul

Sabrina Rodrigues ·
11 de abril de 2019 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Infratores realizaram pesca mediante arrasto com duas redes. Foto: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.

Em dezembro de 2018, policiais do Pelotão Ambiental encontraram dois homens fazendo pesca de arrasto em local de proteção ao Boto, onde a pesca é proibida. O ato que aconteceu em São José do Norte foi auxiliado por cerca de 30 pessoas. O resultado da pesca predatória é impressionante: 2.134 exemplares do peixe raia-viola, um golfinho e uma tartaruga-marinha estavam nas redes. Nesta terça-feira (09), a 1ª Vara Federal do Rio Grande acatou denúncia do Ministério Público Federal e tornou Eleonir Abreu de Souza e Matheus Vaz de Souza réus.

Os réus aproveitaram época de reprodução das raias, quando elas se aproximam da praia para se reproduzir, para realizar a pesca. Segundo o MPF, laudos técnicos constataram que as espécimes apreendidas se tratavam de raia-viola e que algumas fêmeas possuíam ovários repletos de folículos vitelogênicos pré-ovulatórios, indicando intensa atividade reprodutiva no momento da pesca.

Crédito: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.

Espécies ameaçadas

As raias-viola estão classificadas no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção no Brasil como Vulnerável; o golfinho está avaliado como Em Perigo e a tartaruga-marinha como Vulnerável.

Caso sejam condenados, os réus podem pegar de um a três anos de detenção ou multa, ou ambas as penas cumulativamente, conforme o art. 34, caput, parágrafo único, incisos I e II da Lei de Crimes Ambientais (Lei n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 ).

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul.

 

Foto: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.
Foto: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.
A dupla foi flagrada capturando também um golfinho. Foto: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.
Foto: Pelotão Ambiental do Rio Grande do Sul.

 

Leia Também

Ibama apreende 10 toneladas de pescado ilegal no Paraná

Mantida a proibição de pesca de peixes ameaçados no Rio Grande do Sul

O que é a Lei de Crimes Ambientais

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Dicionário Ambiental
8 de maio de 2014

O que é a Lei de Crimes Ambientais

Antes dela, a proteção ao meio ambiente era um grande desafio, pois as leis eram esparsas, contraditórias e de difícil aplicação.

Notícias
23 de maio de 2016

Mantida a proibição de pesca de peixes ameaçados no Rio Grande do Sul

Sindicato de pescadores sofre derrota no recurso contra decisão que suspendeu a pesca de espécies ameaçadas protegidas por lei.

Salada Verde
19 de fevereiro de 2019

Ibama apreende 10 toneladas de pescado ilegal no Paraná

Em ação que ocorreu no litoral paranaense, agentes identificaram empresas sem licença ambiental, comércio e transporte de espécies em risco de extinção

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 5

  1. Ataide diz:

    Lamentável, um dos pescadores tirou a própria vida. https://www.facebook.com/sjnvirtual/photos/a.5637


  2. Santos Pedroso Filho diz:

    Como fazer referência de acordo com as normas da ABNT de matéria publicada em ECO


    1. danyrius19 diz:

      Rodrigues, Sabrina. Pescadores irão responder por captura ilegal de espécies protegidas (em negrito). Disponível em &lt ;https://www.oeco.org.br/blogs/salada-verde/pescadores-irao-responder-por-captura-ilegal-de-especies-protegidas/>. Acesso em: xx de abril de 2019


  3. Névia Fazio diz:

    Quais atribuições cooperam com essa realidade "triste e angustiante"?
    Desemprego,falta de entendimento, ignorância ecológica, ganância escrupulosa, ambição financeira, impunidade legal…?
    Opinião é diferente de fato, e independente de situações geradoras de barbarias como essa é obrigação governamental punir legalmente, e é dever da sociedade cobrar e vigiar o agir das punições legais.
    Alias na minha opinião, crimes ecológicos devem ser reformulados para punições extremamente severas, em valores e em prisões.


  4. Paulo diz:

    Vagabundos predadores. Prego neles.