Salada Verde

Por matar rinoceronte-negro, homem é condenado a 18 anos de prisão

Caçador abateu animal no Parque Nacional de Liwonde, em Malawi, na África. Dois cúmplices irão cumprir dez e oito anos de prisão cada

Sabrina Rodrigues ·
26 de outubro de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Caçadores matam rinocerontes para cortar os chifres e vender. Foto: Cloudtall Snow Leopard/Flickr.
Caçadores matam rinocerontes para cortar os chifres e vender. Foto: Cloudtall Snow Leopard/Flickr.

O Tribunal de Liwonde, no Malawi, condenou um caçador a cumprir sentença de 18 anos de prisão por ter matado um rinoceronte-negro (Diceros bicornis) no Parque Nacional de Liwonde. Dois cúmplices foram condenados a dez e oito anos cada. A condenação estabelece um novo precedente nas punições de crimes contra a vida selvagem no país, pois são as primeiras e mais severas a serem proferidas após o país endurecer a Lei de Parques Nacionais e Vida Selvagem, em dezembro do ano passado.

Em julho deste ano, os guarda-parques do Parque Nacional de Liwonde encontraram uma carcaça de rinoceronte. As equipes de investigação rastrearam a localização dos chifres que deu a direção de uma loja de um dos caçadores. As equipes fizeram uma busca e descobriram o conjunto de chifres em um freezer. Também foi encontrado o rifle usado no crime e 25 cartuchos de munição.

Os três homens foram presos logo em seguida, após uma rápida operação conjunta realizada pelos Serviços de Polícia do Malawi e o Departamento de Parques Nacionais e Vida Selvagem do Malawi (DNPW). As principais acusações apresentadas contra os réus foram: entrada em área protegida sem autorização; caça de uma espécie ameaçada e protegida por uma lista vermelha; posse de arma e posse de chifres de rinoceronte.

“Raramente em crimes contra a vida selvagem os infratores são levados à justiça”, disse Craig Reid, gerente do Parque Nacional Liwonde, em um comunicado. “A rapidez com que os caçadores furtivos foram localizados, presos, julgados e condenados é uma prova do compromisso do governo do Malawi e de seus parceiros em proteger a vida selvagem e assumir uma posição contra a atividade criminosa. Isso serve como um impedimento importante para os potenciais caçadores, bem como um exemplo para outras nações africanas de como implementar uma efetiva aplicação da lei da vida selvagem “, continuou.

O rinoceronte-negro (Diceros bicornis) é uma espécie de rinoceronte nativa da África Oriental e Central. Durante a maior parte do século xx, o rinoceronte-negro foi a mais numerosa das espécies de rinocerontes do mundo, mas a caça predatória e autorizações de terra para assentamentos e agricultura reduziram drasticamente a população. Hoje, ele está classificado pela IUCN como Criticamente em Perigo ou Em Perigo Crítico, uma categoria que vem antes da “extinta na natureza” (Extinct in the Wild -EW), quando só existem a espécime em cativeiro.

Leia Também

Dois caçadores furtivos são mortos no Zimbabwe

Caçador morre esmagado por elefante na Namíbia

Caçador que matou o leão Cecil enfrenta clamor por processo

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
30 de julho de 2015

Caçador que matou o leão Cecil enfrenta clamor por processo

Comoção nos EUA pela morte de leão que vivia em área protegida força dentista que o caçou a fechar consultório. Ele e mais dois podem ser levados à Justiça.

Salada Verde
17 de agosto de 2017

Caçador morre esmagado por elefante na Namíbia

O argentino José Monzalvez, de 46 anos, estava na Namíbia em busca de troféus de caça, quando foi pisoteado por um elefante

Salada Verde
13 de setembro de 2017

Dois caçadores furtivos são mortos no Zimbabwe

Os criminosos foram mortos após troca de tiros com os guardas-florestais do Zimbabwe Parks, nas Montanhas Matusadona. Incidente ocorreu durante uma patrulha

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta