Salada Verde

Troca de chefia no Parque Nacional do Iguaçu

Indicação política para o cargo não se confirma e nova gestora é Cibele Munhoz Amato, servidora do ICMBio há 13 anos e que já integrava a equipe do parque há 3

Duda Menegassi ·
14 de dezembro de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Na última sexta-feira (11), confirmou-se a notícia de troca na chefia do Parque Nacional do Iguaçu no Diário Oficial da União. A dispensa do então chefe, o servidor Ivan Baptiston, era inevitável, disseram as fontes ouvidas pelo ((o))eco, devido aos desgastes na relação dele com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O medo de que o novo nome a ocupar o cargo pudesse ser uma indicação política, entretanto, dissipou-se — ao menos por hora. A nova chefe, Cibele Munhoz Amato, é servidora do ICMBio há 13 anos e já trabalhava no parque há 3, no setor do uso público. É a primeira chefe mulher na história do parque paranaense.

No horizonte do parque para 2021 estão agendas importantes como a renovação do contrato de concessão de serviços, que será feita no escopo do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do governo federal e compreende uma parceria ainda mais robusta com a iniciativa privada, que envolve o Ministério da Economia e o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), que está responsável pela elaboração do futuro edital em parceria com a equipe gestora do Parque Nacional do Iguaçu.

“Quero e vou conversar com todas as entidades e segmentos envolvidos para o desenvolvimento sustentável do Parque Nacional do Iguaçu. Nós vamos continuar este belo trabalho desenvolvido até aqui, por uma série de atores, entre eles funcionários, entidades, parceiros, concessionárias, pesquisadores, trade turístico e visitantes. Faço um destaque para todos os gestores que me antecederam, em especial ao Ivan Baptiston, que esteve à frente da unidade nos últimos cinco anos e deixou um importante legado”, ressalta a nova gestora. (Duda Menegassi)

 

Leia também

Pressão política pode resultar em troca de chefia no Parque Nacional do Iguaçu

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica. Escreve para ((o))eco des...

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2020

Pressão política pode resultar em troca de chefia no Parque Nacional do Iguaçu

Segundo fontes ouvidas por ((o))eco, exoneração do atual chefe deve sair em breve. No seu lugar, o nome mais cotado é Ana Biesek, servidora municipal de Foz e ex-mulher do diretor da Cataratas S.A.

Análises
20 de janeiro de 2022

Além do plantio: incluindo pessoas na restauração florestal

Mais importante do que “apenas” plantar árvores, é necessário conciliar a conservação ambiental com produção sustentável através da integração de paisagens e pessoas

Notícias
19 de janeiro de 2022

Com pedido de Wassef, Justiça libera madeira apreendida em operação histórica

O advogado da família Bolsonaro conseguiu a liberação de madeira e bens da empresa MDP Transportes, uma das afetadas pela operação da PF que resultou na maior apreensão de madeira já feita

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta