Notícias

Foto: rio Itaúnas (ES) em trecho preservado

O capixaba José Marques Porto envia foto tirada em período de descanso e que mostra um dos poucos trechos de Mata Atlântica que sobrevive na região.

Redação ((o))eco ·
17 de janeiro de 2011 · 11 anos atrás

Foto enviada por José Marques Porto. Para enviar fotos e relatos de suas viagens, mande um email para [email protected] ou simplesmente utilize o twitter com o hashtag #meu passeio.


Exibir mapa ampliado

A foto mostra a parte preservada do Rio Itaunas. Na realidade trata-se da Zona de Amortecimento do Parque Estadual de Itaunas, extremo norte do Espírito Santo, que só está com sua biodiversidade relativamente equilibrada graças ao nível de percepção ambiental do proprietário, que preserva (com muita dificuldade)aproximadamente 30 hectares de Restinga, que pertence ao Bioma da Mata atlântica. Mesmo assim na área existe um “passivo”, um antigo lixão, que foi “engolido”, pela natureza que se regenerou, quando a área deixou de ser utilizada para se colocar o lixo da Vila de Itaunas.

A Vila de Itaunas é uma comunidade de pescadores, que ficava do outro lado do rio. No entanto com o desmatamento da vegetação de Restinga, as dunas soterraram no final da década de 1960 a antiga vila, que foi transferida para a outra margem do Rio Itaunas. A região é rica em folclore tendo agora seu ponto alto com a Festa de São Sebastião e São Benedito, onde no coreto da praça acontecem apresentações de Ticumbi, Folia de Reis entre outras manifestações, que resistem como a natureza do lugar, que se encontra a 16 KM da divisa com a Bahia onde se localiza a paradisíaca Praia de Riacho Doce.

Ao fundo da vila fica situado o Parque Estadual de Itaunas, que se encontra cercado dos eucalipitais da Fibria (antiga Aracruz Celulose) sem zona de amortecimento. Acaba o parque começa o “Deserto Verde” quem não conhece pode até se perder devido a monotonia da monocultura.

O Município de Conceição da Barra, onde fica a Vila de Itaunas tem 60% de seu território coberto por eucaliptos, além de 20% com cana de açucar. Nos outros 20% do território ficam as áreas urbanas e o que restou da natureza cuja a foto fala por si.

Nesta outra imagem, as dunas de Itaúnas e o Parque Estadual de mesmo nome ao fundo.

Leia também

Notícias
20 de janeiro de 2022

Espécie de jararaca descoberta na Caatinga revela história evolutiva até então desconhecida

A descoberta da espécie B. jabrensis trouxe também uma revelação surpreendente: uma nova linhagem evolutiva, até então desconhecida pela ciência, dentro do gênero jararacas

Notícias
20 de janeiro de 2022

“Essa tese de que vamos abrir a cerca para o gado passar não será predominante no meu governo”, diz Lula

Em entrevista coletiva, pré-candidato do PT à presidência falou em meio ambiente urbano, pesticidas e defendeu o legado de construção de grandes hidrelétricas na Amazônia

Análises
20 de janeiro de 2022

Além do plantio: incluindo pessoas na restauração florestal

Mais importante do que “apenas” plantar árvores, é necessário conciliar a conservação ambiental com produção sustentável através da integração de paisagens e pessoas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Flávia diz:

    Excelente artigo.. bem mais aprofundado do que tenho visto em outros canais que tocam no assunto de restauração. Obrigada, Veronica.


    1. Boa tarde! Não consigo abrir os links e, quanto acesso diretamente pelo site do IBGE, ao baixar o arquivo PERFIL DOS ESTADOS, não consta a estatística. Podes me ajudar?