Notícias

Licença Ambiental Única será criada no Tocantins

Intenção de governo do estado é regularizar produtores antes que restrições de crédito rural entrem em vigor. Família Abreu defende o projeto. 

Leilane Marinho ·
6 de maio de 2011 · 11 anos atrás

Kátia Abreu e governador Siqueira Campos (microfone) anunciam a licença única do Tocantins durante evento em Palmas (foto: Márcio Vieira/Secom)
Kátia Abreu e governador Siqueira Campos (microfone) anunciam a licença única do Tocantins durante evento em Palmas (foto: Márcio Vieira/Secom)
Palmas- O governo do estado do Tocantins divulgou no início dessa semana a criação da Lei Ambiental Única (LAUtins), que irá unificar três licenças (Prévia, Instalação e Operação) e será concedida, segundo o presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Alexandre Tadeu, apenas às propriedades que já tem suas áreas convertidas em produção agropastoris. De acordo com o governador Siqueira Campos, o objetivo da unificação da licença é facilitar o crescimento da produção rural no estado.

O anúncio da nova licença foi dado pela senadora e presidente da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Kátia Abreu, em evento de combate à febre aftosa no interior do estado. “Hoje no Tocantins para se tirar a licença ambiental leva-se quase que dois anos. São de seis a oito licenças ambientais a um custo de 60 mil reais, se o cidadão tiver um hectare ou se o cidadão tiver 1000 hectares. Essa é a forma que alguns governantes imprimem de oferecer dificuldades para vender facilidades, para se instalar balcão de negócios, propina e corrupção no serviço público”, disse com empolgação a senadora.

O anúncio oficial da LAUtins será dado na abertura da Feira Agropecuária do Tocantins (Agrotins), que acontece entre os dias 10 e 14 de maio, em Palmas. Não se sabe ainda, se a licença será lançada como Projeto de Lei (PL) ou Medida Provisória (MP).

O que muda

Segundo fontes da Naturatins, deputado Irajá Abreu (DEM-TO) participa ativamente na confecção da lei que criou a licença única (foto: Leilane Marinho)
Segundo fontes da Naturatins, deputado Irajá Abreu (DEM-TO) participa ativamente na confecção da lei que criou a licença única (foto: Leilane Marinho)

Com receio de entrar em detalhes sobre a nova licença, antes que do anúncio oficial do governo, o presidente da Naturatins disse que o modelo vai aperfeiçoar o trabalho do órgão. “O objetivo é unir a agenda prevista no Código Florestal com a Agenda Política Nacional de Meio Ambiente, além das respectivas legislações estaduais, tanto a florestal como ambiental, em uma licença só”, disse.

Nas entrelinhas da criação da licença unificada, existe a pressão dos produtores rurais tocantinenses para obterem regularização junto ao órgão ambiental. Segundo o presidente, mais de 70 mil propriedades estão sem a licença no Estado.

O impulso que moveu a medida que concederá licenças ambientais em “grande escala”, é que no final de 2010 o Banco do Brasil aprovou uma norma que restringe o financiamento somente aos produtores licenciados em conformidade com a legislação ambiental. A expectativa é que essa norma entre em vigor a partir de julho deste ano. Com a situação regularizada no Naturatins, os produtores rurais não terão empecilho na obtenção de crédito junto ao sistema bancário.

Conforme explicou Tadeu, o prazo de validade da licença será de um a três anos, dependendo do tamanho da área produtiva. “Caso ela não se encaixe na legislação neste tempo, terá a licença caçada”, completa o presidente. “A partir do momento em que o produtor entrar no órgão terá sua situação regularizada”, finalizou.

Dedo da família Abreu

Apesar da Conselho Estadual de Meio Ambiente (COEMA) ter analisado a Minuta de Resolução que dispõe sobre o Licenciamento Ambiental Unificado, a decisão política parece ter apressado a criação da licença. De acordo com funcionário do Naturatins que não quis se identificar, o deputado federal Irajá Abreu, filho da senadora Kátia Abreu, “atropelou o processo”. Durante as reuniões do COEMA, Irajá, que investe na “plantação de florestas” no Tocantins havia chegado no órgão com a “lei pronta”, e durantes horas “discutiu” com o presidente do Naturatins a sua proposta.

De acordo com o Naturatins, os detalhes da LAUtins só serão divulgados após o anúncio oficial do governo.

{iarelatednews articleid=”24556,24814,24630″}

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta