Notícias

Multimídia: queimadas na América do Sul

NASA disponibiliza animações de dados históricos das queimadas na América do Sul. Imagens mostram aumento nos focos de calor nos anos 2000.

Gustavo Faleiros ·
27 de outubro de 2011 · 10 anos atrás

A NASA divulgou no último dia 19 de novembro uma série de dados históricos sobre os focos de calor captados por seus satélites nos últimos dez anos. A animação abaixo mostra o aumento das queimadas. Os momentos mais extremos podem ser facilmente observados nos anos 2002, 2004 e finalmente, 2007, considerado o ano recorde de incêndios no Brasil. No ano passado, as queimadas voltaram a subir e aproximaram-se do recorde de 3 anos atrás. 

É possível também notar a sazonalidade dos períodos de seca no país, com queimadas acentuadas entre os meses de junho e outubro nas regiões Sudeste, Norte e Centro Oeste. Setembro é na média de 2000 a 2010 o pior mês em número de focos de calor.Veja a animação abaixo.

{mp4remote}http://svs.gsfc.nasa.gov/vis/a000000/a003800/a003872/SouthAmericaSnowNDVI.mp4{/mp4remote}

O gráfico abaixo produzido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) mostra os números absolutos de queimadas a cada ano desde 1997 a 2010.

Veja também
Especial – Trajetória da Fumaça
Mapa interativo – Queimadas 2010

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Análises
24 de janeiro de 2022

O legado de Thomas Lovejoy para a ecologia brasileira

Falecido em dezembro, Lovejoy concebeu o que viria a ser o mais duradouro experimento ecológico realizado até hoje em florestas tropicais

Notícias
24 de janeiro de 2022

Lewandowski suspende decreto que tirou proteção das cavernas de máxima importância

Decisão do ministro do STF acata parcialmente pedido de medida cautelar protocolado pela Rede e pelo Partido Verde, que apontam inconstitucionalidade do decreto presidencial que removeu proteção das cavernas

Notícias
24 de janeiro de 2022

Satélites apontam garimpo como responsável pela mudança da cor da água do rio Tapajós

Análise de imagens de satélite feita pelo MapBiomas aponta evidências de que a coloração diferente nas águas do rio paraense é resultado da explosão do garimpo na região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta