Notícias

Caçador se apresenta a polícia e inquérito segue para a Justiça

Acusado de agredir casal de ambientalistas em Santa Catarina prestou depoimento nesta quinta-feira. Odair Gemro negou ter agredido os dois.

Daniele Bragança ·
9 de agosto de 2013 · 8 anos atrás
Caçador caminha em direção do Wigold com a arma apontada. Foto: Wigold B. Schaffer.
Caçador caminha em direção do Wigold com a arma apontada. Foto: Wigold B. Schaffer.

Odair Gemro, o homem acusado de agredir o casal de ambientalistas Wigold Bertoldo Schaffer e Miriam Prochnow em sua propriedade, se apresentou nesta quinta-feira (08) para prestar depoimento na delegacia de Atalanta, em Santa Catarina. O suspeito também entregou sua arma, um rifle calibre 22. Segundo o delegado Paulo César França, como já foram feitos os exames de corpo de delito e perícia no local, o inquérito já está pronto para ser encaminhado ao Ministério Público.

Por ter residência fixa, emprego e nenhum antecedente criminal, Gemro aguardará o julgamento em liberdade. “Ele responderá por caça não autorizada, porte ilegal de arma e lesão corporal”, informou o delegado à nossa reportagem. O suspeito, embora tenha a posse da arma há 3 meses, não tem a permissão para o seu porte.

Durante o depoimento, ele negou a agressão ao casal, disse que não sabia que a área se tratava de uma propriedade privada e que foi surpreendido por Wigold, que o atacou com o objetivo de tirar-lhe a arma. O acusado informou que o casal soltou os cachorros para cima dele e que ele apenas se defendeu. “O suspeito também fez exame de corpo de delito para comprovar a agressão. Os dados foram anexados no processo” disse França.

Na terça-feira, o site da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), onde o casal trabalha, divulgou as fotos feitas por Miriam e Wigold. A matéria de Sílvia Franz Marcuzzo reportava o acontecido e foi republicada aqui em ((o))eco. As fotos mostravam a agressão, mas uma tarja preta protegia a identidade do caçador.

Procurado, o advogado do casal, Odair Luiz Andreani, explicou que a orientação de não divulgar a foto com o rosto do acusado é uma maneira de se preservar de eventuais riscos de uma ação de reparação de danos, já que o acusado ainda não foi julgado e tem, portanto, o direito de ter a imagem preservada. “Ante o fato condenável tanto pela prática ilegal da caça, porte ilegal de arma de fogo e tentativa de homicídio. Optamos por tomar os caminhos para que o acusado seja punido sob a forma da lei, denunciando os fatos às autoridades competentes. As autoridades têm o nome e a foto do responsável e a elas cabe divulgar. Às vitimas cabe exigir que o culpado seja punido na forma da lei”, justificou.

Entenda o caso

No domingo (04/08), Wigold Bertoldo Schaffer, Miriam Prochnow e Gabriela, a filha do casal, saíram para fotografar na mata dentro da propriedade deles, em Atalanta, Santa Catarina. Wigold, que caminhava na frente, foi surpreendido por um caçador. Ele gritou por socorro e tentou retirar o cano da arma, que estava apontado para seu peito. Nesse momento, a arma disparou, atingindo a mão de Wigold. Miriam escutou o tiro e mandou a filha procurar ajuda. Era manhã. Ela se aproximou fotografando a agressão. Foram 20 minutos de negociação, com a arma apontada para os dois. Ela também foi agredida. O casal deu queixa na polícia, fizeram exame de corpo de delito e na quarta-feira, prestaram depoimento junto com a filha.

O inquérito policial vai ser encaminhado para o Ministério Publico, que o analisará e poderá solicitar mais diligencias antes de oferecer a denúncia junto ao juízo. Se acolhida a denúncia, dá se início à ação penal e o autor do delito passa a ser réu.  

 
  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Salada Verde
20 de outubro de 2021

Em comemoração de seus 10 anos, Onçafari lança concurso de fotografia

Fotógrafos profissionais e amadores podem se inscrever até o dia 14 de novembro. Vencedores terão a oportunidade de fotografar a fauna e flora existentes na sede da Onçafari, no Pantanal

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta