Notícias

Terra, o planeta dos répteis

Catálogo na web contabiliza mais de 10 mil registros, fazendo que eles estejam entre os maiores grupos de vertebrados do mundo

Vandré Fonseca ·
5 de agosto de 2014 · 7 anos atrás
Este pequeno lagarto encontrado nas florestas do Laos, no Sudeste Asiático, foi descoberto por uma equipe de alemães. Crédito: Truong Nguye.

Manaus, AM – Em agosto, o número de répteis conhecidos em todo o mundo passou da barreira dos 10 mil registros, conforme informações do Reptile Database, um catálogo que pretende reunir a classificação de todas as espécies dessa classe de animais. “Oficialmente, nós registramos 10.038 espécies de répteis no banco de dados, que é um crescimento em relação aos 9.952 que tinham sido relatados em abril”, afirma o biólogo Peter Uetz, curador da Reptile Database.

Um pequeno lagarto descoberto por alemães nas florestas do Nordeste do Laos, Sudeste Asiático, é a décima-milésima espécie de réptil registrada no banco de dados. O Cyrtodactylus vilaphongi foi coletado durante uma expedição realizada em agosto do ano passado. Ele é um bichinho escuro, com listas claras e mede menos de nove centímetros.

Os responsáveis pelo levantamento já viviam a expectativa de passar esta barreira e consideravam que 2014 seria o ano que marcaria a virada em que o número de répteis conhecidos ultrapassaria ao de pássaros. Com a descrição de 79 novas espécies só este ano, eles acreditam que tenham conseguido. A marca dos cinco dígitos era considerada importante porque esta é a quantidade de pássaros conhecidos no mundo. “Nós podemos prever que os répteis serão o maior número de espécies do que os pássaros, em breve, pelo menos no papel. Finalmente, os répteis vão ser o grupo com maior número de espécies, depois dos peixes”, comemora Uetz.

Atualmente, são conhecidas aproximadamente 5 mil espécies de mamíferos e 7 mil de anfíbios.

Os dados do Reptile Database são abastecidos pelo trabalho em campo, feito por cientistas em todo o mundo, além de coleções de museus e laboratórios. Informações são recebidas diretamente dos taxonomistas ou coletadas em artigos científicos. Uetz e uma equipe de experts em biodiversidade e répteis, que inclui muitos voluntários, organizam, avaliam e redistribuem as informações.

De acordo com o curador do Bando de Dados, ainda existem espécies descobertas que continuam foram dos registros, mas ironicamente muitas tão logo são registradas já passam a ser consideradas sob ameaça, devido à distribuição restrita, como o topo de montanhas. “Esperamos que o novo status com cinco dígitos de espécies desse grupo de animais traga mais apoio, financiamento e conscientização para a desconcertante diversidade que os répteis continuam a revelar”, destaca Uetz.

 

Saiba Mais
Reptile Database
Cyrtodactylus vilaphongi no Reptile Database
Descrição do Cyrtodactylus vilaphongi no jornal Zootaxa

Leia Também
Descoberta uma nova espécie da cobra-coral na Mata Atlântica
Teiú: um nome curto para um lagarto grande
Aprenda sobre as cobras de Manaus

 

 

 

Leia também

Notícias
26 de janeiro de 2022

Pesquisadores reencontram anfíbio raro que não era visto desde 1970

A redescoberta da espécie, Phrynomedusa appendiculata, uma pequena perereca que ocorre apenas na Mata Atlântica, permitiu o levantamento de novos dados sobre o animal

Notícias
25 de janeiro de 2022

Bolsonaro corta 35 milhões do orçamento do Ministério do Meio Ambiente para 2022

Veto do presidente ao orçamento aprovado pelo Congresso reduziu principalmente a verba prevista para prevenção e combate de incêndios, que sofreram corte de 17 milhões

Notícias
25 de janeiro de 2022

Moro acena ao agronegócio e critica a política de meio ambiente de Bolsonaro

Em participação ao Flow Podcast, pré-candidato defende a valorização da agropecuária e acusa o atual governo de estimular o desmatamento ilegal

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Natalia diz:

    Moro estava presente na mesa de reunião onde Salles defende a simplificação das regras ambientais e o famoso “passar a boiada”, mas agora como pré-cadidato vem se pronunciar dizendo que aconteceu um desmantalamento dos órgãos ambientais, dando a entender que foi errado. Mas de que forma será que ele pensou que o “desregramento” citado pelo Salles aconteceria? O que esperar de um homem que esteve diante destas falas e não se pronunciou, o que esperar de um homem que pediu pela transparência de outrem, mas se recusa a apresentar a própria transparência. Está iniciando uma candidatura da forma como sempre foi, agindo ao que lhe convêm individualmente, pensando em sua imagem e em se resguardar mesmo quando absurdos são ditos. Mas se a interferência for na polícia federal, ai sim, ele pede para sair “porque ultrapassa os limites”. E quantos limites já não foram ultrapassados desde o início dessa gestão, quantos ele presenciou?! O eleitorado ambiental é pequeno, mas não é zero, para um candidato que já é conhecido como o terceiro/quarto lugar, realmente é bom não perder esta fração também…