Notícias

Jaguatirica é morta próxima ao Parque Nacional do Iguaçu

Animal atropelado na rodovia das cataratas (BR-469) havia sido monitorado durante dois meses pelos biólogos do Projeto Carnívoros do Iguaçu.

Redação ((o))eco ·
11 de fevereiro de 2015 · 9 anos atrás

A fêmea adulta morreu atropelada nesta manhã. Foto:  Lucas Dagostin e Marcos Moreira/Carnívoros do Iguaçu/Facebook.
A fêmea adulta morreu atropelada nesta manhã. Foto: Lucas Dagostin e Marcos Moreira/Carnívoros do Iguaçu/Facebook.

Uma Jaguatirica (Leopardus pardalis) fêmea foi atropelada na manhã desta quarta-feira (11) na Rodovia das Cataratas, a BR 469, num trecho situado fora do Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, Paraná. O animal foi encontrado às 8h da manhã pela polícia ambiental. Não há informações sobre quem o atropelou.

O felino é o mesmo que foi capturado dentro do Parque Nacional pelos biólogos do projeto Carnívoros do Iguaçu. Após a captura, ocorrida em agosto de 2014, o animal começou a ser monitorado. Entre setembro e outubro os pesquisares conseguiram acompanhar os passos da fêmea, batizada de Jaborandi. Mas depois, o colar parou de funcionar. No momento da sua morte, o felino ainda portava o colar colocado pelos pesquisadores.

De acordo com o G1, a jaguatirica foi levada para a unidade de conservação para ser congelada e estudada pelos biólogos do projeto.

 

 

Leia Também
Atropelamento de fauna: desastre ambiental fácil de evitar
Iguaçu: onça atropelada perto do lado Argentino, Brasil muda regras   
Gato-mourisco é atropelado e morre na Rodovia das Cataratas

 

 

 

Leia também

Colunas
25 de julho de 2024

De olho no clima e na imprensa: o monitoramento do Observatório de Jornalismo Ambiental sobre a cobertura das enchentes no RS

Observatório não só informa sobre a emergência climática mas também instiga o público a analisar criticamente o papel da imprensa diante desse cenário

Notícias
24 de julho de 2024

Os tubarões-martelo estão de volta ao arquipélago de Alcatrazes!

Pesquisa registra aumento do avistamento de tubarões-martelo no Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes, no litoral norte de São Paulo

Análises
24 de julho de 2024

Portão do Inferno, um risco para o país

Governo de MT sinaliza que aguardará fim do Festival de Inverno para iniciar desmonte de parte do paredão do Parque da Chapada dos Guimarães. ICMBio diz que obra pode inviabilizar funcionamento da UC

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 1

  1. Cláudio Auer diz:

    No minimo se atrapalho com o "colar" que estava quase degolando. A animal que morreria de qualquer forma com o trambolho.n Incrível a falta de bom censo de gente "especializada" colocar isto no animal. Pq eles não andam com algo proporcional no pescoço para ver se ajuda ou atrapalha. PQP viu!