Notícias

Minúsculas, diversas e extremamente ameaçadas

As salamandras do gênero Thorius estão entre menores vertebrados do mundo, mas demonstram grande diversidade ao mesmo tempo em que correm o risco de desaparecer.

Vandré Fonseca ·
17 de novembro de 2016 · 5 anos atrás
Com três novas identificadas, número de espécies do gênero Thorius chegam a 29. Mas elas correm o risco de desaparecer nas próximas décadas. Crédito: James Hanken

Manaus, AM — Três novas espécies das minúsculas salamandras do gênero Thorius, os menores vertebrados terrestres com cauda do mundo, foram descobertas nas altas montanhas de Oaxaca, México. Assim como outras do mesmo grupo, são surpreendentemente pequenas, com aproximadamente dois centímetros de comprimento e com diferenças muito sutis entre elas, que levaram décadas de estudos para serem identificadas.

A descrição da T. pinicola, da T. longicaudus e da T. tlaxiacus foi publicada na edição de 15 de novembro da revista científica Peer J. Para diferenciá-las, foi necessária uma combinação de sofisticadas análises moleculares, que incluem o sequenciamento genético, tomografia computadorizada e estudos da anatomia interna e externa dos bichos. Agora, o número conhecido de espécies do gênero chega a 29, quase todas elas ameaçadas de extinção devido a perda de habitat.

Essas salamandras pigmeias do gênero Thorius foram descritas pela primeira vez no século XIX. Por 75 anos acreditou-se que se tratava de uma única espécie, até a identificação de nove espécies diferentes entre as décadas de 1940 e 1960. Nos anos 1970s, os biólogos descobriram que o gênero tinha uma diversidade ainda maior, embora todas muito parecidas, o que dificultava a identificação. As características de cada uma foram reveladas graças a técnicas moleculares, que levaram então a descobertas de pequenas diferenças na anatomia também.

Endêmicas do México, elas eram muito abundantes, mas enfrentaram um rápido declínio das últimas três décadas e meia. Hoje é difícil de encontrar uma na natureza, não por serem pequenas, mas por terem se tornadas raras. O gênero é considerado o mais ameaçado entre os anfíbios do mundo, segundo os autores do estudo. O reconhecimento da diversidade ao mesmo tempo em que aumenta o risco de extinção é uma tendência global entre os anfíbios.

O número de espécies de salamandras, anuros e cobras-cegas conhecidos tem aumentado num ritmo de 3% ao ano nas últimas três décadas. Em 1985, eram conhecidas aproximadamente 4 mil espécies, hoje são mais de 7,5 mil, com novas sendo acrescidas à lista quase todos os dias. Infelizmente, a revelação desta diversidade coincide com um rápido declínio global desses animais. Os autores do estudo alertam que existe um risco real do gênero Thorius desaparecer nos próximos 50 anos.

 

Saiba Mais

Artigo: Biology of tiny animals: three new species of minute salamanders (Plethodontidae: Thorius) from Oaxaca, Mexico. Parra-Olea G, Rovito SM, García-París M, Maisano JA, Wake DB, Hanken J.

 

 

Leia Também

Pererecas (quase) peçonhentas não perdoam cientistas

Nova espécie de mini sapo é descoberta e já está ameaçada

As dez novas espécies mais incríveis de 2012

 

 

 

Leia também

Notícias
23 de maio de 2013

As dez novas espécies mais incríveis de 2012

Esta é a sexta edição da lista e desta vez conta com seres como uma barata gigante que brilha no escuro e uma esponja carnívora.

Notícias
18 de agosto de 2015

Nova espécie de mini sapo é descoberta e já está ameaçada

Descoberto em Santa Catarina, pequeno anfíbio com cerca de 1 centímetro de comprimento é vulnerável às mudanças climáticas e alterações no habitat.

Notícias
11 de agosto de 2015

Pererecas (quase) peçonhentas não perdoam cientistas

Pesquisador descobre novo mecanismo de envenenamento depois de inspiração que veio da maneira mais dolorida possível: espetar-se após pôr a mão no lugar errado.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta